quarta-feira, outubro 31, 2001

Tirei minha tala!

Oba! Acabou aquele sofrimento para digitar.
Hoje na aula tava incomodando muito aquele negócio e fiquei entortando até achar uma posição confortável, até que... Peck! Quebrou a tala (uma tala de alumínio, fraquinha e entortável). Meu dedo já está curado. Mexe em todas as direções. Mesmo sem ir ao médico tirei a tala, tirei auta por conta própria. Tenho certeza que meu dedo está curado. Estou digitando normalmente, tocando piano e flauta. Não doe nada. Pra que esperar até amanhã? Não sei se deveria ter feito isso, então, amanhã vou ao médico.

Acabaram os Ctrls+C Ctrls+V (Copiar e colar).

Vitor ouvindo Chico Buarque - Quem Te Viu, Quem Te Vê.
Voltando a postar normalmente.

segunda-feira, outubro 29, 2001

A Vingança da loira

Uma loira e um advogado estão sentados lado a lado num vôo de São Paulo para Belém. O advogado pergunta a loira se ela não quer participar de um joguinho interessante. A loira,
muito cansada, diz que só quer dar um cochilo,
agradece educadamente e se vira para a janela para uma
soneca. O advogado insiste e explica que o
jogo é fácil e muito divertido. Ele explica:
* Eu te faço uma pergunta e, se você não souber a resposta, me paga R$5,00 e vice-versa. Novamente ela declina e tenta dormir um pouquinho. Mas o pentelho insiste:
* O.K., se você não souber a resposta, me paga R$ 5,00 e se eu não souber a resposta, te pago R$ 500,00. Isso chamou a atenção da loira, que, pensando que esse tormento não terminaria enquanto ela não participasse da brincadeira, decidiu concordar. O advogado fez a primeira pergunta:
* Qual a distância exata entre a Terra e a Lua?
A loira não disse uma palavra, abriu a bolsa, pegou uma nota de R$ 5,00 e entregou ao advogado.
* O.K., é a sua vez - ele diz.
Ela então pergunta:
* O que é que sobe a montanha com três pernas e desce com quatro pernas?
E vira-se pro canto pra tirar um cochilo. O advogado, desconcertado, pega seu laptop e pesquisa todas as referências, sem nenhuma resposta. Pega o telefone do avião airphone), o conecta em seu modem, procura em todos os bancos de dados e bibliotecas possíveis, sem nenhuma resposta. Frustrado, manda e-mails para todos os seus amigos e colegas de trabalho, sem nenhum sucesso. Após uma hora, ele acorda a loira e entrega a ela R$ 500,00.
A loira diz:
* Muito obrigada. E se vira de novo para uma nova soneca.
O advogado, pra lá de mal-humorado, acorda a loura novamente e pergunta:
* Muito bem, qual é a resposta?
Sem dizer uma palavra sequer, a loira abre a bolsa, entrega R$ 5,00 ao advogado e volta a dormir.

Um !BRIGADÃO! a minha prima Cecília, por estar me mandando estes textos por e-½. Já que não estou podendo escrever muito. Meu dedo vai estar bom quinta-feira, aí paro com as copias e volto a postar meu dia-a-dia. Aconteceu tanta coisa.

Vitor ouvindo Golgfinger - Rio

domingo, outubro 28, 2001

Um sujeito vai visitar um amigo deputado e
aproveita para lhe pedir um emprego para o filho que
tinha acabado de completar o supletivo do
primeiro grau.
- Eu tenho uma vaga de assessor, só que o salário
não é muito
bom...
- Quanto é doutor?
- Pouco mais de dez mil reais!
- Dez mil? Mas é muito dinheiro para o garoto! Ele
não vai saber o que fazer com tudo isso não doutor!
Não tem uma vaguinha mais modesta?
- Só se for para trabalhar na Assembléia. Meio
período. E eles estão pagando cinco mil!
- Ainda é muito, doutor! Isso vai acabar
estragando o menino! O Senhor não tem um emprego que
pagasse uns mil ou até mil e duzentos reais?
- Ter eu até tenho. Mas aí e só por concurso e é
para quem tem curso superior em Engenharia,
Administração, Medicina, Economia, Direito,
Contabilidade, etc. E ainda tem que ter bons
conhecimentos em informática além de Inglês, Francês e
Espanhol fluentes...
|
Hino do Internauta !!!


O vírus dos pilantras às mouses plácidas
De um pontocom um browser retumbante
E o uol da liberdade em disco rígido
Brilhou no excell da página nesse scanner

Se open Word deu invalid
Conseguimos formatar no Macintosh
Enter save, ó megabyte,
Desafio o nosso site à própria soft

Ó dábliu-dábliu-dábliu atalho, cyber! cyber!
Brasil, um povo on line, honrai os links,
De amor e de esperança download desce
E em teu formoso excell risonho e windows
A imagem do e-mail à tela address

Gigabyte pela própria netscape
És belo, és forte até quando és moroso
E o teu cursor speedy essa tua senha,
Tecla adorada,

Entre outras news, eu imprimi,
Ó pasta amada,
Dos Zip deste Bol esc mãe Pentium
Fax modem, Brasil!
Não estou postando pq estou com essa maldita tala no dedo obseno da mão esquerda. É horrível escrever só com uma mão!
E tem tanta coisa para postar, nossss...
Não dá pra escrever.
Bua! Bua! Bua!
Acho que vou ficar copiando uns textos e colando aqui.

Vitor ouvindo Chico Buarque - A Volta do Malandro

quarta-feira, outubro 24, 2001

Hoje eu fui na casa da Tais. Uma amigona minha. A casa dela é longe pra caramba daqui de casa, fui de bike. É longe mais compensa. Fui eu e mais um amigão meu, o Fábio. Fomos arrumar o compilter dela. Colocar no mIRC. Minha escola tem seu canal no mIRC, é #objetivoguara, é pela brasnet. Meu nick é Blogger. Criativo, não?
É a Tais que gravou a gincana e me passou uma copia da filmagem. Valeus!

Fui andar de roller agora a noite, logo quando cheguei. Tô meio cansado!

Coloquei um contador no site. Grassas a ajuda do Freeze! Valeu!
É aquela bolinha debaixo do patinador.

Vitor ouvindo Gold Finger - Punk Ska
Querer é poder!

Ontem. Eu estava todo feliz, vou para a para praia no final de semana, casa do meu tio, dá um bronze no esqueleto. Vou para a aula de música e fico sabendo que o recital de flauta será no sábado, agora. Nosssss... Eu sabia que era no dia 27, mas, não que o dia 27 era sábado agora. Estava perdidinho no mês. Fiquei chocado! Pasmo! Com raiva! Pô, bem no dia em que eu iria para praia. Que saco! E agora como eu falo para minha família? Será que eu posso ficar em casa sozinho o final de semana e eles irem para praia? Não achava que o recital já seria agora. Fiquei horrorizado. Desanimado. Puto da vida. Não querendo ir ao recital. Quero ir para a praia. Venho para casa e falo para minha mãe que vai ter o recital. E proponho para ela deixar eu ficar aqui sozinho e ela ir para praia com meu irmão e meu pai. Ela não aceitou. "Quero ir ver você tocar", disse ela. Pô! Minha família vai deixar de ir passa um fim de semana na praia por causa de um erro cronológico meu. Não! Não quero isso. Sem saber o que fazer vou andar de roller, pra esfriar a cabeça. Andando normalmente, sem manobras nem nada. Subo na calçada e mando um carrinho (manobra em que você se agacha e dobra um joelho). Pá! Aí! Atropelo meu dedo. Que dor! Mentira, não doeu muito, na verdade eu não estava sentindo meu dedo. Sei lá como isso aconteceu. É melhor que sentir dor. Meu dedo ralou da unha até quase na mão, ou seja, inteiro. Foi o dedo obsceno da mão esquerda. E a batida foi forte, tava correndo muito. Tinha certeza que tinha quebrado. Mas, aí meu dedo um sinal de vida, deu uma mexidinha que doeu pacas. Vou para casa. Chego limpo o dedo com água oxigenada e coloco mercúrio. Aí começa a doer meu dedo e sinto a dor que eu não senti na hora. Mostro para minha mãe e digo: "-Agora eu não vou poder tocar flauta". Fica apavorada com estado do meu dedo. Aí vem querendo tratar de meu dedo. Resolve por uma pomada e fazer um curativo. Tudo bem. Passa a pomada e faz o curativo. Que bom não vou poder ir ao recital e vou poder ir para a praia (eu não fiz isso de propósito, não sou masoquista). Liga meu pai em casa (ele trampa em Sampa). Minha mãe conta tudo a ele. E ele diz que o mercúrio já saiu do mercado faz tempo. "-Nossa é mesmo!", digo eu. E a pomada que coloquei no meu dedo, quando eu fui ver ela já tinha vencido. Minha mãe faz um cata nos remédios daqui de casa e joga um monte no lixo. Tiro o curativo, lavo tudo novamente e faço um curativo sem nada de remédio e vou ver o piores. E agora vou para praia. Se... O meu dedo não melhorar.
Tomara que até sábado não esteja bom.

Vitor com dedo ralado dificultando o uso do teclado.

segunda-feira, outubro 22, 2001

Freeze você não devia ter cortado o cabelo! Só que eu não sei como ficou, né? Eu curtia muito seu cabelo. Era uma identidade tua. Mas, como dizia Raul Seixas: "-Eu prefiro ser essa matarmofose ambulante".
Eu curto cabelos compridos. Só que não em mim. Estranho né? Não tenho pasciência para cuidar, pentiar, essas coisas. Mas eu acho legal. Você poderia ter chego até o tamanho que está o cabelo do meu irmão. A foto aí ao lado. O cabelo do meu mano skatista é cabelo cumprido que eu mais curto.
Vale apena rever a foto dele aqui no Ctrl+Alt+Blog.

Freeze = Atitude.
Vitor ouvindo
Raul Seixas - Maluco Beleza.
Hoje peguei a fita da gincana com a Taís da minha sala. (Obrigado pela copia Taís!) Agora eu vi minha atuação de Raul Seixas. Gostei! Mas... A apresentação do sexteto do Jô... Não imaginava o tamanho do mico que eu tinha pago na frente de toda a escola. Meinha a saia. Horrível!

Você já ouviu aquela música do gaguinho da jovem pan? É a música da moda na minha sala. Passou o clipe dela no piores passado. É horrível. A história é de uma mulher que deu um fora em um gaguinho e depois se arrepende, vai com uma garrafa de vinho tentar voltar com o gaguinho. O refrão é mais ou menos assim:

Você mijo, mijo, mijo, mijogo fora!
Mais que cô,cô,cô,cô, coisa ruim.
Cê vai caga, caga, caga, cagarrafa embora!
Cê nunca cago, cago, cago, cagosto de mim!
Tá, tá que, que, que, querendo me emgana, qué?
E se fude, fude, fude, fudesse jeito não dá!

É umas das músicas mais HORRÍVEIS que eu já ouvi, ouvi não, escutei, não dá para ouvi isso. Não sei qual que é pior, a da pamonha ou essa.

Vitor ouvindo Jovem Pan - Gaguinho

domingo, outubro 21, 2001

Considero-me aderido a 'Campanha de Boicote ao Corte de Cabelo do Freeze3k'. Criada pelo Billy.
E Freeze: Você vai ter que por uma foto sua no 3k blog sem o raçudo cabelo que residia em sua cabeça.

Vitor ouvindo Marisa Monte - Bem Leve

Depois de me recuperar do horário de verão dormindo muito essa sexta-feira e fim-de-semana volto para as post.

Ontem veio um amigo do meu pai aqui em casa para conhecer Aparecida, colega de trampo. Aí meu pai deu uma de guia turístico e o levou-o para conhecer os pontos turísticos de Aparecida. Eu não fui. Fui andar de roller, machuquei a canela dessa vez. Assisti o só rindo na mult-show, queria deixar meus elogios para esse programa canadense, é muito bom, ele reuni os melhores comediantes mundiais, vai gente de tudo quanto é parte do globo fazer-nos rir naquele programa.
Hoje acordei tarde (que delicia). A mãe do Freeze3k ligou para minha mãe (são amigonas). Aí ela disse a minha mãe que tinha saído uma matéria sobre blogs na folha. Li a matéria e me surpreendi com o número de blogs já existentes, mais ou menos 800mil, em apenas um aumentou em 4 vezes o número de blogs. Dos que eu conheço que saiu na matéria foi só Catarro Verde.
Fui almoçar (nada como a comidinha da mamãe), daí começou uma daquelas discussões familiares que não levam a nada. Só porque meu pai tava bebendo cerveja, como sempre. Meu irmão e minha mãe começam a falar de bebida, que faz mal e essas coisas (meu pai não bebe de verdade, digamos que ele degusta algumas latinhas, no máximo umas seis latinhas no fim-de-semana, três no sábado e três no domingo, é bem razoável), digo ao meu irmão: "-Estamos naquelas discussões familiares que não levam a nada". Acabei por entrar na discussão. Eu era o único com a razão ali. O que minha mãe e meu irmão estavam falando? Eles bebem refrigerante, que também faz mal, todo mundo sabe disso. Souto a bomba: "-Vocês não podem dizer nada! Vocês bebem refrigerante, que também faz mal, e o pai não fala nada. O que tem beber um pouquinho. O único que poderia estar falando aqui sou eu". Eu não bebo refrigerante. Por livre e espontânea opção. Você fica um tempo sem beber e percebe que não lhe faz nenhuma falta, daí eu parei de beber. Desde fevereiro que eu não bebo. Ás vezes da vontade, quando você ouvi aquele barulhinho do gás saindo da garrafa na giradinha da tampinha, mas, nisso eu penso: "Pra quer tomar isso? Pelo gosto? Matar a sede? Blah!". [acabei de ser interrompido pelo meu pai para ele ler as posts minha e do Freeze3k. É horrível quando você está escrevendo uma post e é interrompido, mesmo que essa pessoa que cometeu esse terrível ato que apaga suas idéias para o post seja o seu pai. Corrigiu meu café em inglês que escrevi coof e é cofee (acho) e corrigiu também meu corrimões que é corrimãos da post Sabadão.]
Acabaram-se os meus assuntos ou foram apagados da minha mente pela interrupção.
Agora fui comer um corneto de brigadeiro.

Vitor ouvindo Jovem Pan - Reggae Do Obreiro, paródia do reggae do maneiro sobre o Rodolfo. Muito boa.

quinta-feira, outubro 18, 2001

NY Q33

Sinistro. Meu primo me enviou um e-½ dizendo algo muito cabrero:

Escreva NY Q33, significa Nova Yorque e onde o avião bateu era no 33º andar da torre 1. Mas... Se você passar essas letras para a fonte "Wingdings", olha o que aparece:


Faça o teste em seu micro. Vai ver que é verdade.
Muito estranho!

Vitor
ouvindo Silver Chair - Tomorrow
___________________________________________________________

Carros amigos:

Vocês sabem que hoje em dia o seguro de automóvel é indispensável.
Não podemos deixar nem Uno de nossos Benz à Mercedesses ladrões que fazem a Fiesta nessa Honda de assaltos.
A Marea tá Brava!
Quem não segura seu automóvel pode se Ferrari e depois só GM pelos
cantos, a Ranger os dentes e a Courier de um lado para outro, vigiando a Strada e perguntando "Kadett meu carro?"
Faz a maior Siena e fica Palio de Townervoso!
Aí vai rezar um terço par Santana ajudar!
Mas, isto não Elbastante para ter seu carro de volta.
Seguro é o Tipo de negócio difícil, Mazda para resolver sem ficar com
cara de Besta no final.
O seguro é um Prêmio para quem o faz.
Tempra todo veículo. Tem Parati também.
E, na hora de fazer o seguro do seu carro, pense nas Variantes.
Afinal Quantum mais opções, melhor!
Você vai ver que o nosso seguro é legal às Pampas.
por isso, ele o Fusca os demais e vai marcar um Gol na hora do Accordo.
Não deixe o prazo Passat! Monza obra! Venha Logus!
Estamos Kombinados? Espero seu contato.
Visite qualquer agência do BaVespa e Accent na frente do nosso Galant
gerente, o Williams.
Não se esqueça de levar o Stratus de seu banco e colocar um Blazer bem
bonito, parecendo um Diplomata de Classe A.
Mas, não deixe de olhar todos os Topicos do contrato.
Somos bem melhores Kia concorrência e se você perder esta Xantia, vai se Corsa todo de raiva. OKa?
Outros seguros lhe trarão uma Ford dor de cabeça! Com nosso seguro, você pode passar um Weekend tranqüilo fazendo um Paseo pela praia de Ipanema que, se roubarem seu carro, mesmo que seja em dia de Eclipse, você não terá problema.
Temos nossa Suprema garantia de pagamento em prazo recorde.
Não precisa D20 dias, como outros que tem por aí.
Hoje mesmo estamos pagando um seguro de um roubo que ocorreu A3 dias.
Você pode estar em lugar, de um Polo ao outro, que nós damos a
assistência que precisar.
É só Scania os documentros e mandar por e-mail mesmo.
E se não precisar usar o seguro no fim do contrato, Dakota que você
pagou, ainda recebe uma parte.
Volvoltar a dizer: faça seguro!
É Clarus que é bom!
Boa Voyage e Pointer final.

P.S.: Se você achou este texto interessante, Cherokee e Mondeo para seus amigos.

quarta-feira, outubro 17, 2001

Arquivos

Consegui colocar as minhas posts passadas no blog, como tem em todo bom blog. Está aí ao lado: Arquivos ou Files, escolha o mês e veja.
Agradeço ao Freeze do 3k Blog que me ensinou a fazer um blog e vem me ajudando com blog desde então. Valeu "Pablito"!

Vitor ouvindo Guns N Roses - Sweet Child oh Mine
Sabadão

Sábado passado, fomos eu e minha família, composta por um irmão, uma mãe e um pai, a uma pista de skate e/ou roller em Caçapava, uma hora de carro. UaU! Que pista loca! Muito loca! Bem... Qualquer pista que eu for vou dizer: "-Nossss... Que pista loca!" É que eu não tenho muito acesso a pistas para andar de roller, ando no pátio da Basílica e na rua mesmo, mando fazer uns corrimões e faço ramps para montar uma pistinha fulera na rua. Quando eu vou a qualquer lugar propício ao meu esporte, fico maravilhado. Andamos. Eu de roller meu irmão de skate, nós caímos muito, principalmente eu, como todo mundo que faz essas coisas meio arriscadas. Eu adoro fazer isso! E também foi por isso que você viu eu interromper as posts da gincana por dor no pulso, mas, já estou melhor, pronto pra outra. Como todo "caipira" que se preze, saímos de Caçapava e fomos a São José dos Campos (são pertinhas essas cidades) no Shopping. Aqui em Aparecida tem um shopping só que, não é bem um shopping, as únicas coisas que podem ser consideras de shopping de verdade são a praça de alimentação, que tem até Mc Dolnad's, e algumas raríssimas lajinhas, umas 10 no máximo (o shopping, ou melhor, o C.A.R, Centro de Apoio ao Romeiro, deve ter umas 200 lajinhas) o resto do C.A.R só vende coisa do Paraguai, como se fosse um gigante camelódromo coberto e mais desenvolvido. Fomos ao shopping. Comemos e fomos andar no shopping, passear. Eu já estava querendo ir embora, tava muito cansado. Mas, aconteceu uma coisa terrível, horripilante! Vejo minha mãe avistar uma loja da C&A. "-Oh não! Estamos perdidos!" Pensei eu sozinho unicamente comigo mesmo em particular. Aí, fazer o que né? Ela entrou. Tivemos que esperar a mulher da casa da uma "olhadinha" na loja. Nem entramos na loja, eu, meu pai e meu irmão. Ficamos lá fora. Meu pai foi tomar um café enquanto Dona Áurea (minha mãe) passeava pela C&A. Fui com ele. Na hora da pagar o coof, dei aquela olhadinha indireta para as balas e chocolates do caixa, típica de filhos mesmo, só que ele nem percebeu e eu não ia pedir, só se ele oferecesse que eu iria aceitar. Ele não ofereceu. Não pedi também, tava sem din-din. Fui andar de roller, de carro, com meus pais, pra que din-din, né? Fiquei na vontade. Fomos sentar um pouco no banco do shopping. Puta-merda que banco duro. Tinha batido a parte superior do fêmor. Ah... Frescura! Tinha batido o osso da bunda mesmo! Tava mó incômodo ficar ali, e pra ficar em pé me cansava rapidamente. Do nada, na minha mente surge umas das idéias mais fantásticas que eu já tive. Lembrei da novelinha querida da minha mãe, A Padroeira. E de que já estava quase na hora e ela iria perder (Ela não perde um capítulo, pode apostar. Desde quando começou essa jossa eu não assisto Dragon Ball Z no Cartoon Net Work). Entrei na loja e disse a ela que horas eram e que ela iria perder a novela. Infalível! Foi Pá-Pum. Ela pegou a camiseta que estava na mão, entrou na fila, pagou e saiu. Fomos embora e ainda deu para ela assistir sua novela. Às vezes novelas serve para algo bom.

Vitor
ouvindo: Green Day - Minority

terça-feira, outubro 16, 2001

Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás
Raul Seixas - Paulo Coelho

Um dia, numa rua da cidade, eu vi um velinho sentado na calçada, com rulha de esmola e uma viola na mão, o povo parou pra ouvir, ele agradeceu as moedas e cantou essa música que contava uma história, que era mais ou menos assim:

Eu nasci há dez mil anos atrás
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais
Eu vi Cristo ser crucificado
O amor nascer e ser assassinado
Eu vi as bruxas pegando fogo
Prá pagarem seus pecados, eu vi
Eu vi Moisés cruzar o Mar Vermelho
Vi Maomé cair na terra de joelhos
Eu vi Pedro negar Cristo por três vezes
Diante do espelho, eu vi
Eu vi as velas se acenderem para o Papa
Vi Babilônia ser riscada no mapa
Vi Conde Drácula sugando sangue novo
E se escondendo atrás da capa, eu vi
Eu vi a arca de Noé cruzar os mares
Vi Salomão cantar seus salmos pelos ares
Vi Zumbi fugir com os negros prá floresta
Pro Quilombo dos Palmares, eu vi
Eu nasci há dez mil anos atrás
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais
Eu vi o sangue que corria da montanha
Quando Hitler chamou toda Alemanha
Vi o soldado que sonhava com a amada
Numa cama de campanha
Eu li os símbolos sagrados de umbanda
Fui criança prá poder dançar ciranda
Quando todos praguejavam contra o frio
Eu fiz a cama na varanda
Eu tava junto com os macacos na caverna
Eu bebi vinho com as mulheres na taberna
E quando a pedra despencou da ribanceira
Eu também quebrei a perna, eu também
Eu fui testemunha do amor de Rapunzel
Eu vi a estrela de Davi brilhar no céu
E pr'aquele que provar que eu estou mentindo
Eu tiro o meu chapéu

Vitor ouvindo RITA LEE - TRATOS À BOLA
Não Pare na Pista

Não pare na pista
É muito cedo prá você se acostumar
Amor não desista
Se você pára o carro pode te pegar
Bi, bi, fon, fon, ne ne
Se você pára o carro pode te pegar
Você me xingando
de louco pirado
E o mundo girando
E a gente parado
Meu bem me dê a mão
que eu vou te levar
Sem carro e sem medo
pro guarda multar
Meu bem me dê a mão
que eu vou te levar
Sem carro e sem medo
prá outro lugar

Não pare na pista
É muito cedo prá você se acostumar
Amor não desista
Se você pára o carro pode te pegar
Bi, bi, fon, fon, ne ne
Se você pára o carro pode te pegar
Mamãe, papai, irmão
Se você pára o carro pode te pegar
Vovó, Nené, Lili
Se você pára o carro pode te pegar

Vitor ouvindo OS MUTANTES - DOIS MIL E UM

domingo, outubro 14, 2001

Gincana
...continuação

Terceiro dia e último dia de gincana. A apresentação do Jô e fazer um romeiro na interpretação da música Renato Teixeira, Romaria. Tudo ensaiadinho, só fazer. O problema era fazer. O romeiro moleza, moro numa cidade sempre está com mais romeiro do que habitante, sei direitinho como é. Mas... O Jô foi o bixo!: Tudo normal, eu com uma guitarra no sexteto vendo a entrevista. Legal! Na hora do e-mail do Jô, nós cantamos a seguinte músiquinha:

(paródia daquela: "A give on Baby! give on Baby". Inglês está errado, eu não sei inglês).

Qué mandá e-mail pro programa?
pro programa
Então preste atenção!
preste atenção
No endereço que nós vamos dar.
Vamos dar
Pra você não errar.
Não errar

É jo@globo.com
sem acento
É jo@globo.com
sem acento

Ahhhhhhh(subindo uma oitava a cada Ahhhhhh, claro que desafinado)
Ahhhhhhh
Ahhhhhhh
Ahhhhhhh

É sem acento!(bem heavy metal)
É sem acento!
É sem acento!
É sem acento!

Legal, vamos fazer a apresentação do e-mail. Colocamos os trajes. Saia estilo anos 60, meinha branca (imaginem eu de saia e meia), camisa, e um papel escrito sem acento colado na bunda debaixo da saia, para na hora do sem acento na música agente empina o bumbum e lavantar a saia e aparecer o sem acento colado na bunda. HILÁRIO! Nunca imaginei pagar tamanho mico na frente do colégio.
Pegamos a gincana em terceiro lugar, perdemos para o terceiro e segundo ano.
Foi muito bom, que uniu bastante as duas salas do primeiro ano na minha escola, amizades novas, amigas novas, novas possibilidades.

E assim foi a gincana desse ano. O ano que vem tem outra.

Vitor ouvindo Fortuna - Ashuar Nuevo_
_______________________________________________

Gincana
...continuação

Fui o primeiro a apresentar a prova do interprete. Depois de mim veio o Cazuza, Baby do Brasil e Bob Marley (é Marley que escreve?). A do Bob Marley foi a que competi realmente comigo, no mesmo nível, porque as outras apresentações estavam mais desfavorecidas (digamos assim). O Bob foi mó legal ele chegou fumando um cigarrinho de "erva" (o cigarro era falso, só de brincadeira), caracterizado, com três backvolcais, um público e um segurança. Eles fizeram igualzinho a um show de verdade. Ficou muito bom. O resultado final foi Raul Seixas e Bob Marley em primeiro lugar (empatados), e Baby e Cazuza em segundo. Mas, nós, eu e o Bob, fomos penalizados em 500 pontos, por temos cedido o limite de tempo. Me avisaram 15 minutos quando na verdade eram 5 minutos. Mas, valeu! No mesmo dia voltei ao colégio para ensaiar o programa do Jô, aí os juízes, estavam lá, eles dormiram no colégio, (teve uma apresentação teatral dos juízes a noite no colégio, ele são amigos do meu professor de literatura, o Sérgio Light, como diria minha queridíssima prima Cecília: "A bixa mais fashion do planeta". "Não sei" se ele é bixa de verdade mas, há muitas coisas que te levam a pensar iso. Eram três juízes duas mulheres e um "homem") quando o Sérgio Light me viu, já foi logo falando para eles que eu era o Raul Seixas e eles começaram a me elogiar e essas coisas que deixam uma pessoa sem jeito. Legal fiz algo muito bom para eles estarem me elogiando assim. Andando pelo colégio com satisfação do dever mais do que comprido. Todo mundo no colégio perguntando: "-Você que é o Raul Seixas?" Aí eu respondia: "-Sou". Quem perguntou: "-Nossa cara estava iguazinho, como é que você fez isso? etc". UaU! Minha popularidade saiu do zero para mil em um dia. Fantástico! Nunca pensei que seria popular, não faz meu tipo.
Meu pulso tá doendo denovo, depois continuo.

Continua na próxima post...

Vitor ouvindo Pink Floyd_
_______________________________________________

Gincana

Não estava postando semana passada por causa da gincana que eu estava envolvido. A gincana foi de ano contra ano, primeiros anos competindo com os segundos e terceiros anos, e também entrou a sétima série. Para mim ficou a prova de interpretação de Raul Seixas (já havia postado sobre minha prova anteriormente), mas, aí eu tive que também fazer parte do sexteto do Jô e fazer parte da interpretação da música romaria do Renato Teixeira. Foram três dias de gincana, terça, quarta e quinta-feira. No primeiro dia nenhuma das minhas provas, foi só assistir e fazer muito barulho na torcida. No segundo dia minha interpretação de Raul Seixas, estava todo caracterizado, parucona, cavanhaque, camisa, causa lee, jaqueta de couro, óculos escuro, estava igualzinho, perfeito. "Playbackiei" duas músicas dele: Não pare na pista e Eu nasci há dez mil anos atrás. Minha atuação ficou perfeita, os juizes, vindos de Sampa, ficaram embasbacados e olhando para mim com aquela cara de embasbacados mesmo. Tava cantando na maior empolgação e vem a Luana sobe no palquinho a me agarra como se fosse uma fã desesperada e volta para a torcida, aí eu me empolguei mais ainda e na terceira vez do refrão de Não pare na pista eu desço do palco e vou no meio de todo mundo e faço o maior auê na música, na Eu nasci há dez mil anos atrás, eu também fiz isso.
Ai meu pulso ta doendo, machuquei, vou parar de escrever.

Continua na próxima post...

Vitor ouvindo Raul Seixas - O Dia em que a Terra Parou_

quinta-feira, outubro 11, 2001

Um rato zero Km

UaU! Nunca achei que um mouse iria me fazer sentir "fodão". Sabe quanto o mouse cria vontade própria? Se mandava ele andar na vertical e ele anda na horizontal, mandava pra direita ia pra esquerda. Bem chato mesmo. Um tempo com o mouse assim e meu pai chega com um mouse novinho zero Km, e é aquele tem uma rodinha encima. Nossa... Fantástico! Vamos testar o mouse. Rodar a rodinha e mexer a página da web. Nossa é o bixo, não prescisa ir lá na chata barrinha de rolagem. Uau! O mouse traballhando direitinho. Já me achando tal, todo metido e nojento entrando em page grande pra ficar rodando com o mouse. Aí eu vou pro winamp. Ponho as mp3 para trabalhar e quando sem querer mexo a tal rodinha... ...ESTUPENDO! Abaixar e aumentar o volume com um simples rolar de rodinha. Aí acabo de veis. Tô aqui todo fodão, metidão, nojentão com meu novo rato.

Vitor ouvindo Ramones

domingo, outubro 07, 2001

Eles estão de volta!

Os RAIMUNDOS voltaram! Estão com um CD novo: "Éramos 4". Perfeito o nome do CD. Peguei 3 músicas no audiogalaxy desse novo CD: Nana Nenem; Sanidade; Desculpe mas eu vou chorar. Tem poucas músicas deles. Tem mais cover mesmo.

Entrem no raimundos.org

Vitor ouvindo Raimundos - Sanidade

sexta-feira, outubro 05, 2001

THPS3 - Ramones

Comprei o Tony Hawk's Pro Skater 3. Uns dos melhores jogos de video-game na minha opinião. É muito bom. Tem uma fase no Rio de Janeiro. Paguei apenas 6 reias. E quando eu fui jogar tocou aquela música do Ramones que me esqueci o nome: Hei, Roll, let's go...Hei, Roll, let's go... (eu não sei inglês. Percebe-se). É muito boa essa música. A conheci no Show dos Raimundos e Charlie brown que fui. O melhor show que já fui. Depois falo desse show que foi ANIMAL. Mas essa música do Ramones é muito boa! Quando descobrir o nome dela eu vou baixar. O Freeze sabe. Vou pedir para ele.

Vitor ouvindo Karnak - Cala a Boca Menina.

quinta-feira, outubro 04, 2001

Enfim postando

Nosss... Desde segunda-feira sem postar.
É que estou muito envolvido na gincana que irá ter na próxima semana em minha escola e também porque no tempo que eu tinha para postar o porcaria do UOL de Aparecida não conectava de maneira alguma.
Antes eu só iria fazer a dublagem de duas músicas do Raul Seixas na gincana, mas, agora vou ter fazer, além da dublagem, parte do sexteto do Jô. Nós temos que reproduzir o programa do Jô. Está muito cômico. Nós do sexteto, todos homens, estaremos de saia e dançando uma música bem estilo anos dourados. Vamos fazer aquela parte de apresentação do e-mail do Jô. Será semana que vem a gincana e nem sei quais músicas do Raul Seixas eu vou dublar.

Vitor_

segunda-feira, outubro 01, 2001

Os meus cabelos...

Ontem foi dia do aniversário de casamento dos meus avós. 48 anos de casados, quase bodas de ouro. Aí, antes de ontem teve uma festinha familiar lá na casa deles, no final tem o clássico vídeo de casamento. Filmado em 16mm. Mó raçudo o vídeo. Logo após o casamento tem gravado mais umas coisinhas de família e me vejo aos meus 5 aninhos de idade com cabelo curumim, meu pai de bigodão, minha mãe parecida com a Elis Regina e meu irmão aos seus 3 anos de idade. Olho para o meu pai e digo: "-Olha pai, o tempo em que agente não tinha cabelos brancos". Eu tenho 15 anos e já estou falando isso? Como é que pode em plena juventude eu com cabelos brancos? E eu nem sei o porque. Algo hormonal? Sei lá! Se a coisa ficar muito feia eu vou ao médico (não quero virar um Supla natural).
Ahhh... Acho que sei o porque. Lembrei agora. Bem, tudo começou... [pelo menos eu acho] ...quando minha prima começou a ter os tais cabelos brancos, aí o "legal" aqui fica mexendo pra caramba com ela. Chamava-a de: vovó; titia; Dona Benta; etc. Ai depois de um tempo o burro aqui acaba com mesmo problema. Foi castigo! Só pode ser. Agora ela que mexe comigo: "-Viu? Ficou falando de mim. Bem feito!". E estou eu aqui, sujeito a piadinhas e gozações, merecidas. Bem feito para mim! Pelo menos eu aprendi à não tirar sarro da desgraça dos outros.
Vocês já ouviram aquela frase?: "Nunca faça com os outros o que você não gostaria que fosse feito com você".

Vitor ouvindo Djavan - Um Dia Frio_

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...