quinta-feira, fevereiro 28, 2002

Peguei esse teste no blog da Juninha.





Que Saltimbanco você é?
Meu amigo Denis

O primeiro contato foi na sétima série quando entrei na sala dele. Ele anda de roller, assim com eu, hoje estuda na minha sala, vai na mesma topic que eu, ele é "o gordinho". Ele não é gordo, mas é mais cheinho da turma. Ele é muito chato às vezes, mas muito mesmo. Eu queria tanto que ele deixa-se de ser chato comigo e com tudo mundo, mas quando você vai falar com ele sobre suas chatices, para ele ser mais legal, ele diz: "É o meu jeito, é o meu jeito". Porra! Ser chato não é jeito, é ser chato. Tudo quanto é novidade que você chega para falar para ele, ou ele fez e é bom nisso ou tem um parente dele que faz a algum tempo e já campeão no assunto. Sempre que vai falar algo que sabe ele eleva o tom de voz e quer passar superioridade. Ele também ta sempre arrumando rolo (briga) por causa do seu "jeito". Outra coisa também é ficar contando coisas chatas sobre, alguma gafe que você deu. Ele sempre quer expor a tudo mundo sua gafe e te ridiculariza-lo com isso. Dá muita raiva quando ele faz isso. Tinha tudo para eu ser o Paul e ele ser o Kavin, ou vise-versa, dos anos incríveis. Eu já desisti de tentar muda-lo, seria tão bom ele ser legal como os outros. Ele é um dos poucos caras que andam de roller em Aparecida, na verdade é o único que ainda anda, os outros todos pararam. Ele gosta de mim e eu também gosto dele, ele sabe ser legal, mas às vezes vem algo e eleva a voz e fica chato, ou alguma faz piadinha sem graça te pondo lá em baixo, se é que alguém me entende. Eu não estou aqui para julgar ninguém. Quem sou eu para isso? Nem sou psicólogo nem entendido no assunto. Espero que se ele ler isso ele tente melhorar um pouco. Seria muito bom ele ser um cara gente boa em tudo, e não só às vezes, poderia ser meu amigo mais "chegado".

Denis, se você leu isso, não leve a mau, encare como algo que pode te ajudar a crescer, você tem melhorado, mas não é o suficiente. Todos querem que você seja uma boa pessoa. Principalmente eu. Um abraço do te teu amigo Vitor, que só quer o seu bem. Gosto de você cara, só falta cortar alguns "jeitos" seus.

Vitor ouvindo Cássia Eller - Maluca

quarta-feira, fevereiro 27, 2002

Praga


Outra praia, outro descobrir. Um índio, que até então nem sabia que era índio, estendeu a mão e ofereceu a Cristóvão Colombo um tomate.
-Um pomo d'ouro! - exclamou o almirante, confundindo o fruto que brilhava ao sol novo da América com uma maçã selvagem. Depois examinou o fruto mais de perto e perguntou:
-Para que serve?
-Saladas - respondeu o índio. -Refogados. Molhos.
-Para o espaguete! - exclamou Colombo, compreendendo por que o destino o trouxera até ali. Lembrando que seu nono, em Gênova, vivia elogiando Marco Polo por ter trazido o espaguete do Oriente e sua nona dizendo que sim, o espaguete era bom, mas faltava alguma coisa. Sua missão estava revelada: numa só viagem, superara o Marco polo do nono e descobrira o que faltava na macarronada da nona. Ficou com o tomate.
-O que você me dá em troca? - quis saber o índio.
Não se sabe que língua falavam. A linguagem mágica dos grandes encontros. Não interessa.
-Dou em troca um dos produtos supremos da nossa civilização. Uma preciosidade. Um dos frutos da indústria que breve chegará aqui e transformará este mato em outra Europa.
E Colombo deu uma miçanga ao índio.
Colombo perguntou que outra novidade o índio tinha para lhe dar. Eo índio ofereceu uma batata.
-O que faremos com isso? - perguntou Colombo, olhando a feia batata com pouco entusiasmo.
O índio descreveu o futuro da batata,desde a sua importância na alimentação dos camponeses europeus em fomes ainda por vir até a noisette e as fritas. E Colombo botou a batata na algibeira e deu em troca uma moedinha de valor tão baixo que em vez da cara mostrava o joelho do rei. O que mais o índio tinha para lhe dar?
O fruto do cacaueiro, de onde sairia o chocolate. O índio descreveu o significado do chocolate para a história do mundo, especialmente da Suíça e da Bahia, e como seriam os bombons, e as barras recheadas com avelãs, e suspeita-se que tenha mencionado até a musse. E Colombo trocou o cacau por um espelhinho. Que mais?
Fumo! Em breve, todos estariam experimentando as delícias do tabaco e o novo hábito dominaria o mundo. E, para quem quisesse um barato ainda maior, o índio incuía a planta da coca junto com a planta do fumo em troca das contas que Colombo lhe oferecia. Que mais?
Milho, Aipim. Um papagaio.
-E isso que você tem na nariz? - perguntou Colombo, apontando para a argola de ouro.
-O que você dá em troca?
Colombo ofereceu mais miçangas, que o índio não quis. Outra moedinha. Comprimidos. Vale-transporte. Finalmente apontou sua pistola para a cabeça do índio e disse "Isto". E disparou. Depois deu ordens a seus homens para recolher todo o ouro à vista, mesmo que tivessem que trazer os narizes juntos.
Do chão, antes de morrer, o índio amaldiçoou Colombo e praguejou. Que a batata tornasse a sua raça obesa, que o chocolate enchesse as suas artérias de colesterol, que o fumo lhe desse câncer, que a cocaína o enlouquecesse e que o ouro destruísse a sua alma. E que o tomate - pediu o índio aos céus, com seu último suspiro - se transformasse em katchup e molho enlatado sem graça que estragasse o espaguete para todo o sempre. E assim aconteceu.

(Luis Fernando Veríssimo)



Vitor ouvindo O Trem
Vale um visita! Peguei o link no blog do Amon.

terça-feira, fevereiro 26, 2002

Conhecimento: S. m. 1. Ato ou efeito de conhecer. 2. Idéia, noção. 3. Informação, notícia, ciência. 4. Prática de vida; experiência. 5. Discernimento, critério, apreciação. 6. Consciência de si mesmo; acordo. 7. Pessoa com quem travamos relações.

Inteligência: S. f. 1. Faculdade de aprender, apreender ou compreender; percepção, apreensão, intelecto, intelectualidade. 2. Qualidade ou capacidade de compreender e adaptar-se facilmente; capacidade, penetração, agudeza, perspicácia. 3. Maneira de entender ou interpretar; interpretação. 4. Acordo, harmonia, entendimento recíproco. 5. Relações ou entendimentos secretos; conjulo, maquinação, trama. 6. Destreza mental; habilidade. 7. Pessoa inteligente.

Vitor ouvindo Cássia Eller - Música Urbana 2

segunda-feira, fevereiro 25, 2002

Não consegui fazer o teste qual personagem da casa dos artistas dois você é, não tem uma respostas que corresponda-me.
Vocês já colocaram uma mochila nas costas sem camisa? É bem estranho.
Hoje vi na TV Cultura que no sábado, dez da noite, vai passar uma homenagem a cantora Cássia Eller. IMPERDÍVEL!

"IMPERDÍVEL!" Quer dizer: Gravem.

Vitor
Momento de Revolta III: Roseana com propagando do No Limite

A candidata do Roberto Marinho já encheu. Nem vou falar nada. Não precisa.

Vitor
Tudo volta ao normal

Acorda, dá um tapa no despertador, dorme mais cinco minutos, acorda, outro tapa no despertador, cochila cinco minutos, da outro tapa no maldito, sua mãe chama-te, vira-se na cama, fica com preguiça de descer, tem uma breve crise existencial, desci da cama, de imediato tira o rádio-relógio da tomada para não tocar mais uma vez, troca de roupa, desbébi, escova os dentes, bagunça mais o cabelo, vai comer a refeição matinal preparada com todo amor e carinho pela mamãe, suco e bananas em rodelas com aveia e mel (Não! Porra! Eu não sou gay, seus putos preconceituosos com quem come banana com aveia a mel e toma suco laranja de manhã), dá beijinhos em mamãe, pega o material de três toneladas e vai para a frente da casa esperar a topic, dá bons-dias para uma ou outra pessoa, chega a topic e vem:

Momento de revolta II: Porra de Topic!

É um saco pagar 60 paus de topic e ainda ir de quatro para a escola (Epa! Deixem-me explicar). Cê tá num lugar legal na topic, lá atrais que é o lugar que você tem que ir para não ficar descendo da escolar para os outros entrarem e não para de entrar gente na geringonça, até quando você vê tem quatro pessoas no banco de traz e você é umas delas, você fica mó encolhido, desconfortável, espremido, com a possibilidade das pessoas fazerem trocadilhos com você, chega torto na escola, podendo ficar meio mau-humorado durante alguns instantes, tem que alongar um pouco depois para poder voltar ao normal, isso é o cúmulo. Tá certo que é feito para ir quatro pessoas atrais, mas sempre tem o gordinho. O gordinho! Que além de chato é gordinho. Esse gordinho é “o amigo” do post do Ney Mato Grosso. Nada contra gordinhos, que isso? Só contra esse em especial, mas é que gordinhos ocupam mais espaço e a força centrípeta gerada numa curva pode te apertar ainda mais. E não acabou, isso não é o pior. O pior é quando seu pai não esquece de levar os disc-man para São Paulo e você é obrigado a ouvir "músicas" de uma "rádio" fuleira, pagodeira, sertanejeira, e mais "estilos musicais" que não merecem a minha citação por causa que a maioria da população topical prefere aquela rádio. Como ando meio revoltado: Vão se fuder maioria populacional da minha topic que gosta dessas coisas! Posso me arrepender depois, mas precisava fazer isso, estou melhor agora.

"Aja duas vezes antes de pensar"

Vitor

domingo, fevereiro 24, 2002

Momento de revolta: Porra de Globo!

A globo é uma bosta mesmo. Acordo cedo, assisto tudo o programinha de esportes dela, ela passa a prova vertical de roller e não passa a de street. Porra! Bem a prova que o Caio tinha passado! O Mateus e o Vinícios não passaram para a final de vertical.

Quero deixar claro aqui que o que aquela reporter disse está errado, o Viba não é o único in-liner brasileiro que dá o 1080 graus, o Vinícios de Guará também manda. Eu vi com esse olhos que um dia serão decomposto por esse planeta azul. Meu amigo disse ter visto o Vinícios num canto da pista quando estava tendo a prova de bike street, mas eu não o vi.

Fiquei seco para torcer pelo Caio, que raiva! Ficou mostrando os cara lá atráz na pista, se aquecendo, mas aí eles não passam. Desgraçados! Pelo menos passaram o vertical de in-line. Nota 2,5 em matéria de patins in-line para a globo e 1260 para ESPN que é insuperável.

Vitor ouvindo Beatles

Oh! Não! Eu fiz o teste do clone



Você é o "O Clone" de quem?


Se alguém souber mais testes em português me avisem.

Vitor

sábado, fevereiro 23, 2002

Roller na Globo

Amanhã tem patins in-line no esporte espetacuilar, na Globo. UaU! Não percam! Se vocês virem o Mateus ou Kalunga(apelido) de Guaratinguetá e também o Vinícios de Guaratinguetá, eu os conheço. Ou o Caio, mas acho que só vai ter a prova de vertical, não vi a propaganda, fiquei sabendo por bocas. Não confundo o Vinícios de Guará com o Viba (Vinívcios de São Paulo). Os dois Vinícios são os únicos que tiram o 1080 graus, uma rotação de três voltas no ar. Uma das manobras mais defíceis do in-line. Não percam!

Vitor

eu sou o pterodáctilo alfredo!

Esse foi o primeiro teste que fiz sem a judar de ninguém no inglês, ehehehehe... É em português. Vi no blog do Billy. Clicke na figura e faça o seu.

Vitor ouvindo MPB 4 - O Que Vale é a Amizade
MP3

Porque que não inventam algo que transforme o aparelho de som para ler cds com músicas gravadas no formato mp3, iriam caber muito mais músicas num cd. Imagina: 650 mgs de músicas em formato mp3 tocando no seu disc man, no seu carro. Seria uma puta vantagem. Está certo que as músicas não teriam a mesma qualidade, mas nada consegue reproduzir a música igual à quando está sendo tocada no momento, ao-vivo. O que chega mais próximo é o Long Play (eu já postei isso).

Vitor ouvindo Cássia Eller - ECT

Já havia pensado inumeras vezes, mas nunca tivera coragem.

Vitor ouvindo Cássia Eller - O Segundo Sol

sexta-feira, fevereiro 22, 2002

Coral

Fantástico!

Não sabia que ia gostar tanto do coral logo na primeira aula. Muito bom. Beto Mi, o sorrrrr, é muito bom. Ele canta muito, muito mesmo. Eu sou baixo, tenho vóz grave. Na seleção das músicas, que nós mesmos escolhemos, estão:

Resposta - Skank
Andança - [Essa tem várias pessoas que cantam, eu não sei de quem é realmente. É muito boa também]
Se - Djavan
Por enquanto - Cássia Eller (uma das melhores)

e

Cotidiano/Você não entende de nada - Caê e Chico (sugetão minha)
Uau, essa é a música é-o-bicho, o-cão-chupando-manga! Escutem ela. Tenho o long play do show de 72 que o Caê e o Chico fizeram. Uns dos show que eu adoraria ter ido. Mas...

Tô muito animado com o coral.

Vitor baixando as músicas aí de cima

quarta-feira, fevereiro 20, 2002

Feliz niver atrazado para a três cá padoca.
Meu irmão disse isso para mim e acabei de ler no blog do Amon, vou copiar: (por falar em "vou copiar" a Preguiça HP bateu os 300 visitantes. http://www.preguica.f2s.com)

"Quarta-feira, dia 20, ocorrerá durante um minuto, um evento que só aconteceu uma vez, há mais de mil anos e que nunca mais ocorrerá !
Teremos a data:
20 horas e 02 minutos do dia 20 de fevereiro (mês 02) do ano 2002 ou, em marcação digital: 20:02 20/02 2002 ou em qualquer outra ordem, como ano, dia, mes, hora: 2002 20/02 20:02
É um registro com perfeita simetria numérica ( chamado palíndromo ou capicua).
A última ocasião em que ocorreu tal padrão simétrico foi às 10:01 horas, do dia 10 de janeiro de 1001, há mais de mil anos atrás.
Mas não havia então o relógio digital.
Será que foi notado e comemorado ?
Isso nunca acontecerá novamente, pois a máxima marcação de um dia é 23:59, não existe a hora 30, assim em 30 de março de 3003 não ocorrerá essa coincidência matemática.
Quem tiver espírito matemático junte-se a nós para essa comemoração, pelo privilégio em nossa vida de viver esse minuto histórico".

terça-feira, fevereiro 19, 2002

Ney Mato Grosso

Estava ouvindo o CD do Ney Mato Grosso hoje na topic e vem o amigo e pergunta:

-Que cê tá ouvindo?
-Ney Mato Grosso.
-Que gay! Hahaha!
-(Cara séria e brava)

Porque o preconceito. PORRA! Ficar tirando onda. Fazendo piadas tolas e sem graça. O cara canta para caralho, escolhe umas músicas com umas letras super fodas e só porque ele é feminino você não o ouvi? Eu gosto de Ney Mato Grosso e sou doido para ir a um show do cara. Já vi na TV e são super fodas.

"Ser um homem feminino não afeta o meu lado masculino"
(Ney Mato Grosso)

Vitor ouvindo:


Ney Mato Grosso - A Cara do Brasil

(Celso Viáfora / Vicente Barreto)

Eu estava esparramado na rede
Jeca urbanóide de papo pro ar
Me bateu a pergunta meio a esmo:
Na verdade, o Brasil o que será?

O Brasil é o homem que tem sede
Ou o que vive da seca do sertão?
Ou será que o Brasil dos dois é o mesmo
O que vai é o que vem na contramão?

O Brasil é um caboclo sem dinheiro
Procurando o doutor nalgum lugar
Ou será o professor Darcy Ribeiro
Que fugiu do hospital pra se tratar?

A gente é torto igual
Garrincha e Aleijadinho
Ninguém precisa consertar
Se não der certo, a gente se vira sozinho
De certo então nada vai dar


O Brasil é o que tem talher de prata
Ou aquele que só come com a mão?
Ou será que o Brasil é o que não come
O Brasil gordo na contradição?

O Brasil bate tambor de lata
Ou que bate carteira na estação?
O Brasil é o lixo que consome
Ou tem nele o maná da criação?

Brasil, Mauro Silva, Dunga e Zinho
Que é Brasil zero a zero e campeão
Ou o Brasil que parou pelo caminho
Zico, Sócrates, Júnior e Falcão

A gente é torto igual
Garrincha e Aleijadinho
Ninguém precisa consertar
Se não der certo, a gente se vira sozinho
De certo então nada vai dar


O Brasil é uma foto do Betinho
Ou um vídeo da favela naval?
São os trens da alegria de Brasília
Ou os trens de subúrbio da central?

Brasil-Globo de Roberto Marinho?
Brasil-Bairro: Garotos-Candeal?
Quem vê do Vidigal o mar e as ilhas
Ou quem das ilhas vê o Vidigal?

O Brasil alagado, palafita?
Seco açude sangrado, chapadão?
Ou será que é uma Avenida Paulista?
Qual a cara da cara da nação?

A gente é torto igual
Garrincha e Aleijadinho
Ninguém precisa consertar
Se não der certo, a gente se vira sozinho
De certo então nada vai dar

Escolendo maçãs ouvindo Macho Man

É sempre meio chato sair com mãe. Você tem que parar em tudo quando é loja, ver e ver se comprar nada, mas no fundo no fundo eu gosto, sinto-me bem filhão.

Hoje eu fui ao supermercado com mamãe. Encontrei lá meu sorrrr (Prof.) de física, que, aliás, é uns dos melhores professores que eu tenho, gente boa, ensina muito e é brincalhão. O meu estilo de sorrrrr. Ele me viu com uns panetones na mão (promoção, dois por três reais. Pegamos quatro). Sempre quanto vê alguém da sala “na rua” comenta na sala. Na próxima aula dele eu vou levar panetone para comer no recreio e oferecer-lhe. Depois fui escolher as minhas maçãs diárias e quando reparei na música que tocava no Pão de Açúcar, Macho Man [escreve-se assim?]. Depois comecei a reparar mais nas músicas do que nos ovos de páscoa que estavam sendo colocados no supermercado. A rádio que tocava lá parecia estar tocando o TOP Pit Bicha. O supermarcado parecia uma boate gay musicalmente falando. Depois tocou mais umas três clássicas gays.

Vitor baixando Cranberries - Linger

segunda-feira, fevereiro 18, 2002

Momentos filosóficos no cérebro de Vitor

8. Quanto mais sei, mais sei que menos sei.

Vitor ouvindo BEATLES - We Can Work it Out

Zé Loquinho

Hoje foi a votação para a lei do “O Polêmico”. Como esperava-se não foi aprovada. Mas ele conseguiu fazer o barulho que queria. O que será que ele criará na próxima vez? Alguém arrisca?

Vitor ouvindo Todos nós vivemos num submarino amarelo

Sem postar

Estava meio sem tempo para nada. Só para coisas que tinha para fazer. Por isso não estava postando. Mas voltei! Huahauhauahuaha!

Percebo agora que voltei na velha rotina rotineira do ano passado. Acordar, ir para escola, ouvir música ruim na topic, almoçar, tarefa, aula de música, arrumar mais machucados por conta dos patins. MAS esse ano tenho uma novidade, algo à mais para se fazer. Me inscrevi hoje no coral da minha escola. Não vou cantar só no chuveiro. Fui o primeiro a me inscrever, peguei a lista em branco. Espero que entrem mais pessoas. Até agora são: eu e mais algumas pessoas da minha sala. Porque que o pessoal não gostou da idéia do coral. A Dona Dora (diretora) está investindo mais na escola, e um grupo de coral será bem legal. Quem vai dar aulas e organizar o grupo será o músico Beto Mi. Um músico famoso de Guará que eu não conhecia. Ehehehe...

Vitor ouvindo BEATLES - Ontem

sexta-feira, fevereiro 15, 2002

Oh! Ele conseguiu!

Zé Loquinho apareceu no jornal nacional.

Vitor

Vocês viram o coment da Cecília, minha prima, no post anterior? É só clickar Ctrl+Alt+Comente! No post de baixo.

Foi ela quem me mandou o texto da mulher de força.

Estou meio sem nada para postar vou por outro texto enviado por ela. Amanhã vou para casa do meu tio, Adriano. Volto domingo de manhã.

CRIANÇA INTERPRETA AS COISAS DE UM JEITO DIFERENTE


Joãozinho, depois de ter passado a noite vigiando a irmã que namorava no sofá da sala, conta para a mãe tudo o que viu:
"Mãe, a Suzana e o namorado apagaram a maior parte das luzes e se sentaram no sofá . Ele chegou perto dela e começou a abracá-la.
A Suzana deve ter começado a ficar doente, porque seu rosto começou a ficar vermelho. O namorado dela deve ter percebido que ela começava a passar mal, porque ele colocou a mão dentro da blusa dela, acho que para sentir seu coração. Só que ele demorou tanto para encontrá-lo!!! Aí, foi ele que começou ficar doente, porque os dois começaram a ficar ofegantes, com pouca respiração. Acho que a mão dele estava fria, porque ele colocou por dentro da saia da Suzana, que deitou no sofá dizendo que estava muito quente. Depois de um tempo, consegui ver o que estava deixando os dois doentes:
Uma enguia enorme tinha saltado das calças dele, era muito grande, devia ter uns 20 cm de comprimento. Foi então que a Suzana agarrou a enguia com as duas mãos, acho que para evitar que ela fugisse, e disse que era a maior que ela ja tinha visto. De repente, a Suzana deve ter ficado maluca, porque tentou comer a enguia, colocou ela inteirinha na boca. Mas acho que deve ser difícil a gestão, porque depois de uns 10 minutos, a enguia saiu da boca da Suzana ainda inteirinha!!! O namorado da Suzana então, enfiou a enguia dentro de um saco plástico, para não deixa- la fugir.
A Suzana tentou ajuda-lo e se deitou prendendo a enguia entre as pernas enquanto o namorado deitava em cima dela. Eles ficaram tentando esmagar a enguia entre eles. Eu confesso que fiquei assustado porque a Suzana gritava tanto e se contorcia toda... Depois de muito tempo os dois soltaram um suspiro de alivio. Acho que eles conseguiram matar a enguia, porque eu a vi pendurada abaixo da barriga do namorado da Suzana.
A Suzana e o namorado sentaram na cama e começaram a se beijar e, quero que um raio caia na minha cabeça, se a enguia morta não ressuscitou e eles começaram a batalha novamente. Desta vez, a Suzana tentou esmagar enguia sentando cima dela. Depois de 40 minutos ela morreu, porque o namorado da Suzana esfolou a enguia e jogou a pele pela janela.
Mãe, eu estava pensando, acho que as enguias são como gatos, tem sete vidas ou mais....

Vitor

quinta-feira, fevereiro 14, 2002

"UMA MULHER FORTE VERSUS UMA MULHER DE FORÇA

Uma mulher forte malha todo dia para manter seu corpo em forma...
mas uma mulher de força constrói relacionamentos para manter sua alma em forma.

Uma mulher forte não tem medo de nada...
mas uma mulher de força demonstra coragem, em meio a seus medos.

Uma mulher forte não permite que ninguém tire o melhor dela...
mas uma mulher de força dá o melhor de si a todo mundo.

Uma mulher forte comete erros e evita os mesmos no futuro...
a mulher de força percebe que os erros, na vida, também podem ser bênçãos inesperadas e aprende com eles.

Uma mulher forte tem o olhar de segurança na face...
mas uma mulher de força tem a graça.

Uma mulher forte acredita que ela é forte o suficiente para a jornada...
mas uma mulher de força tem fé que é durante a jornada que ela se tornará forte".

Vitor ouvindo Chico Buarque - Angélica

quarta-feira, fevereiro 13, 2002

Mais será o Benedito

Zé Loquinho, o prefeito de Aparecida City, resolveu criar uma lei medonha. "-Durante todo a quaresma as pessoas da cidade não deverão usar bermudas. Todas as pessoas deverão cobrir suas pernas em respeito à religiosidade".

E as pessoas que não quiserem? E as pessoas que sentem calor? E as pessoas que não são as religiosas? E as lojas de bermudas? E as saias das meninas? E os salões de beleza que fazem depilação? E os caras que malham as pernas o ano todo na academia para mostrarem no verão?

Ele vai causar desemprego.

Se ele quer criar polêmica, fazer barulho e aumentar sua popularidade, seja pela região da cidade ou não porque ele não tira metade dessas banquinhas miseráveis que tem na cidade? Por que ele não faz algo útil e polêmico ao mesmo tempo?

E ele ainda quer cobrar cinqüenta reais de quem infringir a lei e uns cem de quem fizer isso na semana santa. Não lembro direito o preço da multa de quem infringir a lei na semana santa, estava mandando ele tomar no cu pela minha TV no jornal da TV vanguarda (Globo local) bem na hora que falou o preço.

Porra! A minha vontade é ir à frente da prefeitura, vestindo somente uma sunga e ficar fazendo polichinelos exibindo toda minha magreza.

Se os vereadores aprovarem eu terei a nítida conclusão de que o mundo não tem salvação. Acho que não vai dar em nada isso. Só a polêmica que ele quer e está conseguindo. Prefeito desgraçado. Até no meu blog ele conseguiu "aparecer".

Se o prefeito teve essas idéias porque não os vereadores não a aprovariam?

Zé Loquinho é o nome do prefeito. Guardem esse nome.

Vitor
Voltei do Samparnaval

O melhor que tem é passar o carnaval em São Paulo, nada de som alto, multidões, nada de carnaval.

Fiquei na F3Kasa e na Yaracasa ou ETCasa.

Cheguei e já fui andar de roller, já caí e bati o joelho. Novidade: Bati numa parte que não havia batido antes e dói pra caramba. A lateral do joelho. Estou mancando até agora pouco. Maldito Soyale! Eu sempre caio nessa manobra.

Vitor voltando a postar e cair normalmente

domingo, fevereiro 10, 2002

Vai Passar
(Chico Buarque)

Vai passar
nessa avenida um samba popular
cada paralelepípedo da velha cidade
essa noite vai se arrepiar
Ao lembrar que aqui passaram sambas imortais
que aqui sangraram pelos nossos pés
que aqui sambaram nossos ancestrais
Num tempo
página infeliz da nossa história
passagem desbotada da memória
das nossas novas geraçöes
Dormia a nossa pátria mãe tão distraída
sem perceber que era subtraída
em tenebrosas transações
Seus filhos erravam cegos pelo continente
levavam pedras feito penitentes
erguendo estranhas catedrais
e um dia,afinal
tinham direito à uma alegria fugaz
uma ofegante epidemia
que se chamava Carnaval
o Carnaval, o Carnaval
Vai passar
Palmas pra ala dos barões famintos
o bloco dos Napoleões retintos
e os pigmeus do boulevar
Meus Deus , vem olhar
vem ver de perto uma cidade a cantar
a evolução da liberdade até o dia clarear
Ai que vida boa,olerê
ai que vida boa,olará
o estandarte do sanatório geral vai passar
Ai que vida boa,olerê
ai que vida boa,olará
O estandarte do sanatório geral vai passar
Ô Abre Alas que eu quero passar...
Hoje eu postei no YaraZ

sábado, fevereiro 09, 2002

Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos!
(palíndromo)

Freeze 3k ouvindo ESPN - Narração de Snowmobile.
Noite dos Mascarados
Chico Buarque


Quem é você, adivinha se gosta de mim
Hoje os dois mascara...dos procuram seus namorados perguntando assim
Quem é você, diga logo que eu quero saber o seu jogo
Que eu quero morrer no seu bloco, que eu quero me arder no seu fogo
Eu sou seresteiro, poeta e cantor
O meu tempo inteiro só zombo do amor
Eu tenho um pandeiro, só quero um violão
Eu nado em dinheiro, não tenho um tostão
Fui porta-estandarte, não sei mais dançar
Eu, modéstia à parte, nasci prá sambar
Eu sou tão menina, meu tempo passou
Eu sou colombina, eu sou pierrô
Mas é carnaval, não me diga mais quem é você
Amanhã tudo volta ao normal, deixa a festa acabar, deixa o barco correr
Deixa o dia raiar que hoje eu sou da maneira que vo...cê me quer
O que você pedir eu lhe dou, seja você quem for
Seja o que Deus quiser, seja você quem for, seja o que Deus quiser

Vitor ouvindo CPM 22 - O Mundo da Voltas
Chico Buarque - Quando o Carnaval Chegar

Quem me vê sempre parado,distante garante que eu não sei sambar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
Eu tô só vendo,sabendo,sentindo,escutando não posso falar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
Eu vejo as pernas de louça da moça que passa e não posso pegar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
Há quanto tempo desejo seu beijo molhado de maracujá
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
E quem me ofende,humilhando,pisando,pensando que eu vou aturar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
E quem me vê apanhando da vida duvida que eu vá revidar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
Eu vejo a barra do dia surgindo pedindo prá gente cantar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar
Eu tenho tanta alegria adiada,abafada,quem dera gritar
Tô me guardando prá quando o carnaval chegar

Vitor ouvindo CPM 22 - Regina Vamos Lá
F3Karnaval

Estou passando o canaval na F3Kasa. UoU! Não vou postar muito, mas tô postando agora. Pode ser que post. Vou copiar algumas coisas e por aqui.

Vitor ouvindo CPM 22 - Vai Mudar?

quinta-feira, fevereiro 07, 2002

Parabéns FLINK!

Hoje é seu grande dia! Lembre-se agora de tudo aquilo que todos falam para você quando você faz aniverssário. Lembrou? Agora eu estou dizendo isso a ti.

Um Abraço
Vitor

V A L E U TRADE!

Mais um blog com meu link. Nossa! Assim eu me emociono. Brigadão TRADE! Valeu mesmo cara. Eu queria deixar aqui que o seu layout está muito FOD*! Muito bom mesmo. Parabéns! Um dia eu chego lá. hehehe

Essa noite eu vou dormir feliz.

Vitor
ouvindo Charlie Brown jr. - Você vai de Limusine. Eu vou de trem

Yet Another Blog

V A L E U ! Brigadão por me adicionarem na sua lista. Hoje eu li todo o YAB. Vou coloca-los na minha lista também. Mais uma vez obrigado.

Vocês ganharam mais um leitor. Ehehehe...

Vitor
ouvindo Dia Verde - Faixa Extra do Dookie

Filho da Puta e de Deus

Vocês já param para pensar que se você xingar alguém de filho da puta estará xingando também a mulher de Deus. Se todos são filhos de Deus e se você xinga alguém de filho da puta, logo ele é filho da puta e de Deus.

Vitor ouvindo Ramones

Arranhado

Estou ouvindo o cd Raul Seixas e uma música arranhada. Ah! Desgraça! Mais um CD arranhado. Eu não tenho muitos CDs arranhados, que eu saiba são apenas três. Dois eu não sei com arranharam-se, mas um eu sei e tenho raiva. Estava havendo um churrasco aqui em casa. Churrasco de família. Eu estava ouvindo tranqüilamente o CD do Offspring, o Americana, quando alguém tira o CD e coloca um CD do Zezé de Camargo e Xorãozinho. Tá se é preferência da parentada, vou tentar me desconcentrar da música. No outro dia quando vou ouvir ao CD o Offspring estavam totalmente arranhadas as músicas 4 e 5. Todos que tem ao CD sabem que essas estão entre as melhores do CD. Que raiva, CD novinho. Eu estava curtindo.

Nota: Preferência da parentada e não da família (irmão, pai, mãe e Da Lua)

Vitor ouvindo Ramones

quarta-feira, fevereiro 06, 2002

Lembrando da terceira série

No post anterior eu me lembrei de uma brincadeira que eu e meu amigo, Jurandir, ex-colega que eu não vi mais, inventamos. Nós brincávamos sempre de pega-pega, esconde-esconde, quatro-cantos, pular corda, amarelinha, duro-ou-mole, elástico e etc. Um dia nós inventamos o pega-pé. O pega-pé é tipo pega-pega, mas você tem tocar o seu pé no pé o adversário sendo que, tanto os seus pés quanto os pés dos adversários devem estar no chão. Isso impediu a bicudas que poderiam machucar-nos. Nossa! Escrevendo desse tempo eu me lembrei de várias coisas que eu havia feito no Chagas Pereira, minha escola na terceira e quarta série. Lembro-me até do hino da escola, que era executado semanalmente: "Para frente Cagas Pereira/Aonde vás respeite a vida...". Eu até tirei no piano uma parte da melodia meio que sem querer. Muito legal ficar lembrando dos momentos bons que já se passaram. O ruim disso é saber que o tempo passa e não dá para voltar. Fiquei com vontade de brincar de pega-pé, ou quatro-cantos, esconde-esconde ou etc.

Vitor ouvindo Raul Seixas - Al Capone

Eu falo recreio. E daí?

O que tem de mais em falar recreio e não intervalo? Às vezes quando falo recreio meus colegas me chamam de criança, infantil ou algo do tipo. Mas, eu falo recreio desde quando eu entrei na escola. Agora só porque eu estou no colegial eu tenho que mudar? Por que? Que norma diz isso. Eu falei, falo e vou falar recreio até na faculdade. Não há motivo para mudar. E o que mais me da raiva nisso é que, os mesmos colegas que falam para eu falar intervalo fazem aquelas brincadeirinhas que são realmente infantis. Vocês lembram-se do: "Que horas são? Oração é na igreja", ou então, "Olha pra quem te come e disfarça!". (tem mais, mas eu não estou lembrando, se alguém lembrar: Ctrl+Alt+Comente!) Há horas que são saudáveis essas criancices, mas há horas impróprias em que elas ficam muito chatas e eu não gosto.

Vitor ouvindo Raul Seixas - Gitã

Não estava postando muito, mas agora vou voltar na mesma frequencia, eu espero. E...

[...] Vocês não gostaram das minhas post em terceira pessoal? Clicka no Ctrl+Alt+Comente!

Vou ser democrático.

O Felipe, não precisa assinar como ninguém e e-mail ninguem@uol.com.br. Se você quiser xingar, solta o verbo. Eu adoro críticas e valoriso as pessoas que criticam-me, assim eu tento ser um pouco melhor.

Momentos Idiótioticos no cérebro de Felipe

Felipe, se você não "copiou" os meus: Momentos filosóficos no cérebro de Vitor, a xuxa viu doendes, o tio Patinhas é mão-aberta, o clodoviu é macho (aquilo é apenas marketing) e aquela vaca verde das piadas voa.

terça-feira, fevereiro 05, 2002

Estou Puto!

A uol daqui de Aparecida está dando altos paus diários, desde sábado vem dando os paus. Já decorei o zero oitecentos. Só ontei liguei quatro vezes para lá.

O contador, só porque eu o tirei ele voltou no dia seguinte. Agora eu coloquei novamente.

Vitor

domingo, fevereiro 03, 2002

Acsom (Leia o título como se fosse um palíndromo, mas não é)

Acordara mais cedo o jovem da família e fora ver televisão na sala. Vendo tv ele ouviu um barulho que a principio achou estranho, mas foi muito baixo e ele o ignorou. Ouve novamente, o mesmo som, e identifica. Viera de um inseto. O bater das asas do inseto em alguma coisa, como se estivesse preso. Não achou e nem procurou o inseto, ficou sentado no sofá e imaginado-se no monólogo:

Se for um inseto gigante, do tamanho de um cachorro? Já pensou o poderia acontecer? Já pensou? Notícia no país todo? Não! No MUNDO todo. As manchetes: Vitor mata inseto gigante nunca antes visto por ninguém, um grupo de cientistas, os melhores na área da "insetologia", viram estudar o inseto mutante. Nossa. Eu vou dar entrevistas no jornal da globo, no fantástico, na Folha de São Paulo. E quando estiver sendo entrevistado na TV: Primeiro eu perguntarei se o jornal é ao-vivo, depois falei no final do programa: "-Se você quiser entrar em contato comigo é só acessar essa página que está aparecendo aqui ó: http://cab.blogspot.com". Nisso eu estarei apontando o dedo para baixo. Por isso que perguntarei se é ao-vivo ou não, se fosse não iria dar para eles colocarem o endereço embaixo e eu apontaria para o nada.

Voltando do pensamento fora a cozinha fazer seu hábito matinal, que era abrir os armários e a geladeira a procura de algo que lhe interessasse ao estômago. Dessa vez não achou nada, sabia que iria outra vez fazer isso, mesmo sabendo que não iria achar nada, repetia o ato até se cansar. Voltando para a sala, quando fora sentar no sofá, para retomar o filme do telecine, deu de cara com uma mosca "gigantesca" (não confundo o meu gigantesco com o gigantesco canino dele), deveria ter uns dois centímetros e meio. Parou e ficou olhando para ela. Tinha medo de que ela voasse em sua direção. Não dava para vela direito, a claridade que transpassava o vidro em que ela estava era forte, o sol estava radiante naquela manhã. Resolvera pegar o mata-mosca na lavanderia. Quando viera para matar a mosca no vitrô, não a achara de início, mas logo olhou para baixo e a avistou. Ficou sem coragem de mata-la, não se sabe de qual forma, mas havia criado um vinculo com ela. Não sabia se não tinha coragem porque tinha pena da coitadinha ou se por medo dela voar em sua direção. Resolvera que iria tentar abrir o vitrô onde ela estava. Foi muito devagar para a mosca não perceber sua presença e voar, podendo assim ir em sua direção. Não sabia ele que a mosca estava com mais medo do que ele. Ela avistara a arma na mão dele, era como a lenda contada pelos seus ancestrais dizia: "Um ser feio e nojento, com a desgraça na mão irá acabar com nossa espécie, que para ele é feia e nojenta, a desgraça tem calda longa e regida ligada à cabeça que é cheia de furos, ela é a que vai nos matar". A mosca vira a desgraça na mão do ser e ficara apavorada. Estava imóvel sem saber em que pensar e no que fazer. Tinha muito medo fugir, pois achava ela que ele a estava esperando. Vitor que não conseguira matar a mosca foi aproximando o braço lentamente da maçaneta do vitrô, lento até demais. Não era possível saber quem estava com mais medo, se era ele ou se era a mosca vendo a lenda se concretizar. Depois de um tempo ele conseguiu por a mão direita na maçaneta. Não tirara o olho, que estava concentrado, da mosca. A mosca permanecera imóvel. Ele foi abrindo lentamente o vitrô, lento até de mais. A mosca não se mexia. A mosca resolvera que não iria voar tentando fugir se ele não chegasse perto dela. Ele abriu uma fresta no vitrô, a mosca vira a passagem e não pensara duas vezes, foi saindo devagar dali, andando, sem voar. Quando vira que atravessara para o outro lado do vitrô voou para a liberdade. Vitor ficou aliviado e sentiu necessidade de escrever o fato. A mosca foi rapidamente para casa contar que havia estado frente a frente com a lenda. Ficou famosa na família, não em todo o mundo das moscas, pois muitas já haviam visto a lenda. Menos alguém da sua família, ela fora a primeira. Isso podia ser visto até como uma questão de honra na família da mosca, pois muitos esnobavam a família. "Aquela família é muita fraca, não houve um sobrevivente a lenda" diziam. A mosca virara uma heroína na família e Vitor...

Moral da história:
(OH! Eu não sei a moral da história)

Vitor ouvindo Oh não! Outro zumbido de mosca!

sábado, fevereiro 02, 2002

Glomário

Eu não aguento mais a globo puxando o saco do Romário. Puta merda! Enche o nosso saco. Eu posso não entender ou gostar de futebol, mas sei que ele não merece ir para seleção por um motivo, devem haver muitos mais, mas só esse de ele ter mostrado o dedo do meio para a torcida num jogo aí já me deixou com um baita ódio do cara. Ele faz gol manda a torcida tomar naquele lugar. Fod*-se se ele faz gol, fod*-se! Ele é um babaca com o rabo cheio de dinheiro que não tem o mínimo.

Vitor ouvindo Los Hemanos

Seu mundo era apenas umas casa. E não uma casa inteira, apenas o quintal e alguns cômodos. Saíra de seu mundo apenas algumas vezes, mas não se lembrara disso, pois seu cérebro animal não guardava esses momentos raros, talvez apagara por causa da infelicidade de viver em seu mundo pequenino. Ele era vez odiado, vez adorado, não sabia o porque disso. Todo dia acordava quando a dona da casa abria a porta da varanda, onde ficava sua casa e onde ele dormia. Só bebia água e comia sua ração, mas uma vez por dia, que era a melhor hora alimentícia do dia, ele ganhava um biscoito. Nossa como ele adorava este biscoito. Quando demoravam a dar-lhe, ficava perto do armário que guardava a guloseima com o rabo abanando e sua face de "tadinho". Na maioria das vezes funcionava, o ruim para ele era quando tentava isso pela segunda vez no dia. Era retirado da cozinha aos berros e empurrões. Não podia comer mais de um biscoito por dia, pois tivera uma doença, que quase o matou, que não permitia comer à-vontade, o biscoito que era muito forte para ele, se comera a terrível doença poderia voltar. Essa doença causo-lhe uma sequela terrível. Sua cabeça ficava pulando, no ritmo de sua pulsação. Terrível. Todos sentiam dó/pena ao ver sua cabeça pulsando daquela forma. Às vezes a sequela ia embora, que era quando ele corria, agitava e brincava. Com o tempo diminuiu um pouco, mas parou e não diminuiu mais. Toda vez em que ficava deitado, descansando, se podia ver o triste "soluço" eterno em sua pequena cabeça.

Quando os donos da casa saiam era uma solidão sem fim para ele, não via hora deles voltarem. E quando voltavam era uma alegria só. Corria, pulava, chorava para que abrissem aporta. Seus donos brincavam e faziam carinho nele. Ele se sentia o máximo com tudo isso. A atenção era toda voltada para ele, e mais ninguém. Ele também adorava ficar em frente da casa tomando sol e gritando com cada um que passasse por ali. Às vezes seus donos gritavam, competindo com próprio grito do animal, para que ele ficasse quieto, mas nunca adiantava. Os donos o colocavam num cantinho da sala onde passara grande parte de sua vida, ali ele não gritava, não pulava e não atrapalhava ninguém. Às vezes soltava um pum e donos planejavam um banho achando que era ele que estava "cheiroso", mas só planejam. Se não tivessem uma ordem vinda diretamente de uns dos chefes da casa eles não o faziam. Gostava de música também, não se sabe como, mas gostava. Sempre em que o menino Vitor tocara piano, que ficava na sala, ele ia de onde estivesse para o seu cantinho na sala. Não se sabia como tal criatura poderia gostar de música.



Agora é só isso que me vem à cabeça. Vou dar o seu biscoito diário e brincar e fazer carinho com ele. Devo-lhe mais atenção.



Vitor ouvindo Os Pardais - Nós causamos o strees do interior

sexta-feira, fevereiro 01, 2002

UaU!

Uma foto minha andando de roller no http://www.eradical.com.br/.
Tô muito feliz, não liguem!
O portal evanguarda, que é o que hospeda o eradical, é site da globo regional.
O que estão esperando? Vão lá me ver! http://www.eradical.com.br/ Escolham na barra Esportes Radicais, Patins In-Line. Minha foto é a última. Vitor - Back Slide - Aparecida. UoU! Vou tirar mais fotos maneiras.

Vitor ouvindo Micro-ondas - Eu esquento a sua janta
Fiz um diálogo hoje na sala

Claudinho: -Esse ano eu vou me esforçar. No ano passado eu quase repeti.

Joãozinho: -É mesmo?

Claudinho: -Se eu passar minha mãe disse que vai me dar um roller novo, do bom, e uma prancha de surfe.

Joãozinho: -Se eu passar meu pai prometeu que não vai me bater.

Vitor ouvindo Charlie Brown jr. - Lugar ao Sol

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...