sexta-feira, janeiro 31, 2003

Nossa! Parei um pouco para escrever no cab

E aí, Vitor? Quais são as novidades?
Bem... Esse último final de semana, de sábado até quarta-feira na verdade, eu fiquei sozinho em casa. Meus pais, meu irmão e minha prima - que foi no meu lugar - foram para Caraguatatuba pegar uma... Chuva. Fiquei me virando por aqui nesses dias. Preferi ficar. Dormi no quarto da minha mãe; camona de casal, telefone ao lado para falar com a AD... Pude ver a AD todos os dias. Fui na Lan jogar ControlStrike com a AD e um amigo dela, o Osmar - cara legal.

Ficaram algumas tarefas para eu fazer e apareceram outras. Tinha que regar as plantas, mas não precisei, pois choveram todos os dias. Um dia, segunda, tive que acordar cedo para abrir a porta para o jardineiro. No domingo o Da Lua, meu cachorro, matou um gato. Tentei apartar a briga antes do gato defuntar, mas não deu. Ele pegou o gato no portão - acho que alguém zoou o gato para o ver no que daria, cretinos! - e o levou até os fundos e o enterrou. Tive que limpar algumas manchas de sangue que ficaram pela casa e depois desenterrar o pobre filhote negro do meio das pedras e embrulhar em vários sacos plásticos para jogar fora. Tadinho do gatano.

Tive também algumas experiências na cozinha. Resolvi fazer macarrão Alho e Óleo. Sei que é fácil e procurei a receita nesse site legal de culinária: Batuque na Cozinha. A AD, minha luz, me deu a brilhante idéia de fazer com o macarrão do miojo. Era só fazer o molho, baba. Fui fazer o molho, mas não tinha azeite o suficiente e coloquei pouquinho, depois adicionei o alho, mexi um pouco, dei uma olhada no miojo e quando voltei tinha queimado todo o alho. Joguei fora o molho, ou melhor, a tentativa de molho e fritei dois hamburgueres.

Quando o povo chegou, eu agradeci. Ficar em casa sozinho um tempo é legal. Mas é muito melhor com tudo mundo aqui.

Agora a AD foi para Ubatuba e volta sábado quando iremos a uma festa de um amigo e reveremos os colegas. Vai ser legal. Até lá estou arrumando o meu quarto. Talvez eu consiga acabar. Se vier a ajuda prometida ajuda da minha mãe... Comecei hoje e arrumei apenas um terço da zona. Boa a sorte para o Vitor.

Vitor com Saudades da AD

segunda-feira, janeiro 27, 2003

21/01/2002

O PQ do Novo Layout

Tudo começou...
Em um belo dia, eu na minha sétima série, na escola Marieta Braga e um colega meu, o Max, levanta-se para aportar o seu lápis. Estava havendo aula normal. Ele para de apontar o lápis, olha para mim e diz a seguinte frase em um elevado tom de voz: "-Gente! Sabe com quem que o Vitor parece? Com o Salsicha do Scooby-Doo!". Pronto meu mundo a partir daquele dia mudou, ficaram, todos sem exceção, me enchendo a aula inteira. O pior de tudo é que na época eu era idêntico ao Salsicha, cabelo igualzinho só de cor diferente, rosto, tudo e mim lembrava ao Salsicha. Volto para casa mais rápido do que o normal para me livrar logo das piadinhas. Entro em casa, estava passando malhação na globo (nesse tempo eu estudava a tarde), dou beijo na minha mãe, vou tirar minha mochila das costas e vou deitar-me no sofá para ver a minha "novela" e de repente: "-O Salsicha! O Salsicha! Salsicha!", meu amigo Fábio Ribas grita da rua meu mais novo apelido (minha casa é caminho para casa dele, vindo da escola), pronto, o apelido avisa se concretizado. Minha mãe ouviu e ficou me chamando de Salsicha também, vê se pode. Minha própria mãe. Logicamente meu irmão ficou sabendo, meus primos (o Felipe é um deles) e etc. No outro dia na escola, só Salsicha. Tentava disfarçar desviando o olhar, mas não adiantou. Passou um tempo e eu tive que acabar aceitando o "nickname". Mas aí ficou legal, eu me acostumei, e acabei ficando famoso com toda essa história, passava pelo pátio todos chamavam-me: "-O Salsicha!". E a escola inteira ouvia. E quando eu entrei para o time municipal de basquete, ninguém sabia meu nome, era só Salsicha. Nem a técnica sabia o meu nome. Ia me escrever na lista e não escrevia Vitor, não. Escrevia Salsicha. E também quando eu vou andar de roller, sempre aparecem (agora diminuiu bastante) uns garotinhos que não se sabe da onde dizendo: "-Você não é Salsicha do basquete?". Um lugar que é infalível de isso ocorrer é no mini-ramp daqui de Aparecida, é no mesmo bairro da quadra de basquete, e a quadra é aberta, sempre ficavam gente vendo nós treinarmos. Mudei de escola, fui para Albert Einstein (objetivo) e o "nick" acabou, lá o Salsicha não existe, só o Vitor. Ás vezes eu penso que seria mais legal ser conhecido como Salsicha do que como Vitor por lá. Deixaria-me mais famoso. Não que eu queira ser popular, mas depois que eu fiz o Raul Seixas me senti "o fodão" com todo mundo vindo falar comigo. Foi o máximo. Todo mundo me elogiou uns queriam saber quem eu era, não dava para me reconhecer de Raul. Alguns amigos meus não acreditaram quando eu disse que era eu quem havia feito o Rauzito. “-Ahn? Era você?”.

Quem sabe o apelido não renasce algum dia.

Salsicha ouvindo a música da post Punk Cover - Scooby Doo Theme

quinta-feira, janeiro 23, 2003

25 de Janeiro de 2002
Guia

Uma coisa que eu adoro fazer, quando eu estou andando na rua, ou melhor, na calçada, é andar sobre a guia. Todo mundo já fez isso, não? É bem simples tão legal e muito divertido que eu faço até hoje. Houve um tempo que eu achava criancice um cara de 16 anos andando sobre uma guia de calçada, alguém com uma alma de criança, mas agora eu acho que apenas alguém se divertindo. É bem divertido ficar se equilibrando e o tempo passa bem mais rápido, você se distrai. O que tem de mais em fazer agora algo que você sempre fez quando criança? Será que eu estou sendo "meio" infantil? Eu acho que não. Viva você que anda na guia da calçada! Viva! Seja feliz e deixe para lá o que os outros iram pensar sobre isso. Tem uma guia aqui perto de casa que eu devo ser o recordista, sempre quando eu volto para casa a pé eu a atravesso inteirinha. É muito fod*.

Vitor ouvindo Rio Negro e Solimões - Lenha. Não, eu não gosto deles! Eu só estou ouvindo porque está tocando no programa da minha tia Isabel (recentemente postado aqui). Ela ainda está apresentando ao programa na rádio.

terça-feira, janeiro 21, 2003

Foi um post especial

27/08/2002
Cada coisa que a gente passa na vida...
...Falar com o pai da moça é uma delas.

Sábado o Vitor foi à casa de AD, conhecer o "sogrão". Como já era de se esperar ele se perdeu no caminho, mas ligou para sua amada com o celular da mamãe e conseguiu chegar ao castelo da princesa. Nervoso, após ter matado vários dragões no caminho, enfrentou o mais difícil desafio. Adentrou a ponte levadiça no mais educado modo possível, ajoelhou-se perante o rei, meio "recolhido", e encarou o diálogo firmemente (tá bom... não tão firmemente assim). Tenso, ele até que conseguiu se sair bem, aliás, muito bem. Está namorando com o consentimento da família real de sua Donzela e apoio também. Ele encontra-se num estado que os médicos batizaram de "Sorriso Na Testa", por motivos óbvios, felicidade excessiva.

Na segunda-feira Vitor volta para o castelo, para estudar biologia. Com a intenção de ficar por pouco tempo por lá e ir logo embora; queria apenas tirar suas dúvidas com sua amada, que é uma aluna exemplar (sem querer puxar-saco!), namorar um pouquinho e ir para casa, pois já estava tarde. Mas foi surpreendido por um banquete preparado pela rainha. Uma das mais altas honras de um reino. Não podendo negar tal presente fica para a esplendorosa noite. Acaba ficando tarde e uns chuviscos começam a apaulistanizar o reino. A rainha não deixa Vitor ir embora no temporal chuvisquioso a pé. Pega sua carruagem e leva Vitor pessoalmente, e ainda acompanhado da princesa, até sua humilde casinha num canto afastado e em um outro reino. O deixando na porta de seu lar ele se sente meio estranho, talvez até constrangido, pensando ter abusado com tais favores. Mas de tanto pensar nisso vê que faria o mesmo e ainda melhor para com sua amada princesa. Acaba indo dormir num estado de felicidade profunda, e com a maior crise de "Sorriso Na Testa" já vista no mundo da medicina.

Vitor conversando com AD no mIRC

sábado, janeiro 18, 2003

Hauhauahuahuaha!
Blog do Calcinha. O cara estudou comigo na sétima e oitava série, é primo do meu primo e é uma figura! Estou linkado no blog dele.

Vitor

sexta-feira, janeiro 17, 2003

Voltei!

Cheguei em casa na terça-feira mas resolvi postar apenas hoje. Fiz uma reforma no micro, algumas desatulizações nas zorras da microsoft. Não sei porque vim postar agora que a minha está fazendo misto-quente. Depois eu volto se der (vou ver Duna na FOX) e posto algo que possa ser lido. Até!

Vitor
A VERDADEIRA AMIZADE

Um simples amigo nunca te viu chorar.
Um amigo de verdade tem os ombros molhados pelas tuas lágrimas.

Um simples amigo não sabe o nome dos teus pais.
Um amigo de verdade tem o telefone deles na agenda.

Um simples amigo traz uma garrafa de vinho para a tua festa.
Um amigo de verdade chega cedo, ajuda a cozinhar e fica mais tarde para ajudar a limpar.

Um simples amigo odeia quando tu ligas depois de ele se ter deitado.
Um amigo de verdade pergunta porque demoraste tanto para ligar.

Um simples amigo quer conversar sobre os seus problemas.
Um amigo de verdade procura ajudar-te nos problemas.

Um simples amigo, ao visitar-te, age como uma visita.
Um amigo de verdade abre o frigorífico e serve-se sozinho.

Um simples amigo pensa que a amizade acabou depois de uma discussão.
Um amigo de verdade sabe que não se acaba a amizade na primeira briga.

Um simples amigo espera que estejas sempre para ele.
Um amigo de verdade espera sempre estar para ti!

quarta-feira, janeiro 08, 2003

Notícias

Estou indo numa colônia de férias em Areados MG hoje às 8hrs, vou ficar por lá até dia 14, se eu voltar a postar será só após esse dia. Estou bem. Passei maravilhosamente bem o reveillon em Ubatuba com a AD. Muita pena que agora eu venha a me separar dela por um bom tempo. Vou viajar e ela também, voltaremos a nos ver só dia 18 ou 19, não sei ao certo. =[

=] Hoje fazem exatos 5 meses de namoro,PARABÉNS PARA NÓS! Comemoramos ontem assistindo A Vida é Bela, conversando bastante, comendo hamburgueres na casa dela. A amo muito muito muito!

Tenho que ir dormir agora senão meu pai me pega aqui no micro essa hora e lá vem bordoada. Até pessoal!

Te amo AD!

Vitor

Madalena suas cicatrizes de não-cristo, que pecado se cura com anti-fel

Abra a porta da música que aí não fica apertado o coração. Salve, amigo! Dilemas são o cardápio do desempregado. Samba, gira uma-banda que ...