Eu não fui das pessoas que acompanharam a série desde o começo, na verdade eu vi mesmo foi essa última fase. Das outras fases eu vi um episódio ou outro. Mas sempre dava para entender tudo porque eu já tinha uma noção da história. Esse pouco tempo foi o suficiente para eu me apaixonar pelos personagens: o melhor é o Joey, a que tem o raciocínio mais interessante é Phoebe e o com qual eu mais me identifico é o Ross; se o Vitor fosse um dos Friends, ele seria o Ross, sem dúvidas (idiota e sempre com uma burrada).


Acabei de ver pela segunda vez o último episódio e dessa vez deu para pensar um pouco nele e não ficar totalmente envolvido (rindo e emocionado) com a última história contada.


Foi muito bom eles fazerem um último capítulo (os últimos episódios) do mesmo modo dos demais: mesmo tempo, muitas piadas, as idéias geniais de sempre... nada de extra-oficial, por assim dizer. Bem, valeu, Friends. Muito amor e riso!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais