Maluf no meio da roda

Candidato do PP à Prefeitura de São Paulo no centro do Roda Viva

TV Cultura
passa hoje, às... (lembrar da voz do locutor da Cultura) dez-e-meia da noite, o Roda Viva com o Maluf. Imperdível do meu ponto de vista. Ainda não sei qual será o filme na tela quente, mas, seja qual for, o interrogatório vai ser, sem dúvidas, muito mais interessante.

Não sei se eu vou conseguir explicar da mesma forma que o meu professor de história conseguiu em uma aula no ano passado, mas eu vou tentar.
Como funciona uma obra superfaturada:
Quando os políticos se reúnem com as empresas candidatas a serem contratadas pelo estado para realizarem uma obra pública; uma estrada, por exemplo; são analisadas separadamente cada uma das candidatas: o orçamento, como será feito o serviço, prazo de conclusão, tudo isso... (é separado para que nenhuma saiba quanto a outra propôs) Aí os corruptos armam um esquema de aprovar a empresa X, também da gangue.fdp. Essa empresa, que fará a obra, passa para os responsáveis pela verba (para o estado) um preço que é mais do que ela vai gastar, isso faz sobrar um dinheiro legal (o nosso dinheiro, sabe? impostos que você paga) Aí vai um tanto para empresa: fazer a obra e tirar o dela (o roubo dela); e o outro tanto vai para os políticos que possibilitaram a empresa X ganhar das outras candidatas na hora da escolha mesmo sendo a pior (pelo preço) para fazer o serviço e lucrar bem mais do que lucraria com o tal serviço. Enfim, a empresa compra os juízes que a fazem lucrar mais e, é óbvio, eles cobram muito caro por isso. Você viu que os dois lados lucram, certo? Agora, imagine "uma pessoa" sendo dona da empresa e um dos juízes ao mesmo tempo? Lucro dobrado.

Não sei se eu vou conseguir explicar que nem o meu pai consegue, mas eu vou tentar:
O que é um laranja:
Há políticos que nunca vão ser presos porque têm os seus laranjas para serem presos no lugar deles. É um capanga treinado e posto nos rolos: assinando papéis, tendo contas dos políticos no seu nome e que na hora que a polícia descobre tudo, é quem assume tudo e tudo que foi roubado está registrado no nome dele. Acredito que o cara é chantageado ("vou matar sua mulher, seu filho e sua filha se você abrir o bico"; "faço capa da Veja o quê você fez na prefeitura de Vitória e já era, meu filho"). Laranja não deixa de ser, de certa forma, um emprego. O cara ganha para ficar preso, mesmo que para sempre, o dinheiro vai para a sua família, para a "melhor" criação de seus filhos, para a sustentação da sua mulher. Ou, fica preso para a sobrevivência desses.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais