Amara Mara
Moça bonita
De muita graça
De muita raça

Moça perdida
Em amor passado
Mundo acabado
Seio sofrido
Tudo vivido

Alma batida
Qu'inda acredita
Na própria vida
Amara Mara
O Jovem magro

Se via cravo
Ela a rosa

Se via Zé
Ela Maria

Se via fé
em romaria

Ela ao altar
Pôs-se a beijar
Roda girou
Tempo correu
Engravidou
Aconteceu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais