Desblogado

Há um tempo venho sentindo esse blog desblogado. Conclusões ilícitas da minha parte; admito. Mas não deixa de ter um fundo de verdade. Parece que eu parei de vibrar como eu vibrava, como está vibrando essa menina e pondo em seus posts o brilho que eu queria pôr nos meus; o brilho que eu sabia onde encontrar, que eu sabia usar quando eu não escrevia julgando o que estava sendo escrito. Antigamente eu postava, as pessoas comentavam, eu ia ao blog delas, eu lia os posts delas, comentava lá. Havia um círculo de amigos visitantes sendo visitados e isso está me faltando.

Quando você perde o brilho, você deixa de postar de verdade. Postar é a falar das coisas por querer falar delas. É reparar algo na rua, na TV, no seu quarto, nos seus sonhos e falar sobre, simplesmente. Saber falar sem nenhum sentimento de preocupação. Preocupação sempre estraga as coisas. Como estragamos momentos atuais por ficarmos pensando em momentos que nem aconteceram ainda, que ainda são espermatozóides no saco da vida. Acho que é mesmo a falta de círculo, a falta de comentar nos blogs dos outros, o sentimento de estar sozinho nessa área que foi o que fez escrever isso aqui após ler todos os posts da página principal desse blog, já citado a cima. Consegui escrever sem preocupações, graças a Deus. E escrevi ouvindo Gonzaguinha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais