Meus primos – parte 3

Acordei preocupado. Bem... O Paulo me acordou e eu fiquei preocupado. Senti a minha bochecha e região perto da boca um tanto quanto úmidas. Teria eu babado no travesseiro novo do Paulo??? Me afastei e olhei para aquela coisa fofa de pôr a cabeça. Não tinha cicatriz, ufa. Digo, não tinha nenhuma marca visível a olho nu. Ainda bem!

Coisas poucas mas não sem importância foram arrumadas e fomos à casa da Priscila. Buzina: Bibibí! Ela saiu. Pulei para o banco de trás do carrão. Casal na frente, fomos para o tal do churrasco seguindo um ônibus que saiu da universidade de Guarulhos. Meio roça o local. Não pegava celular. No portão, antes de entrar com o carro, veio um cara-segurança pegar nossos “convites” (custaram dinheiro) e olhar o porta-malas para ver se não tinha nenhum corpo lá dentro, eu acho. Tudo ok, estacionamos. Nossa primeira parada foi o banheiro. Tudo mundo que anda um tempo de carro na estrada vai logo para esse lugar de fazer xixi, é impressionante. A pessoa pode levar duas horas num veículo dentro da cidade e depois nem lembrar que existe banheiro. Mas, bastam vinte minutos na estrada, fora da cidade, viajando, para que a pessoa tenha uma necessidade mijativa quase desesperadora quando o veículo pára.

Fomos olhar o local. Muito bonito. Os dois cogitaram de mudar o local da festa do casamento que logo será (e eu serei padrinho) para aquele em que estávamos. Mas já estava tudo certo para a festa num outro local, só houve imaginações que sabiam que não passariam disso mostrando como seria se a festa do casório fosse naquele lugar. Piscina com tobogã (local onde os anus passam rápido)(essa piada fica ainda pior quando escrita)(e ela só é ruim, mesmo falada, porque todos a conhecem; quando se ouve pela primeira vez, ela é legal). Tinha lago, tirolesa (um negócio a lá batman: cabo de aço preso de uma ponta a outra, passando a cima do lago (como era o caso) em que você, pelos braços, vai perdurado numa roldana deslizando pelo cabo até o outro lado). Tinha uma quadra muito grande lá, no futsal dava para fazer times de 11 para cada lado, pôr juiz e bandeirinhas. Tinha muito verde, montanhas em volta. Nenhum prédio. Salão de jogos. Pista de dança com palquinho para a banda. Toda decorada com discos trash dos anos 80. Xuxa, Menudos e citas mais. Havia também churrasqueiras. Churrasqueiras.

Uruuuuu... Uruuuuu...
-Opa! Foi o meu estômago ou o seu, Paulo?
-Acho que foi um dueto.
-Não! Um "trieto"! - completa Priscila.

Comentários

Aí Vitão!!! Pra Variar seu post tá ótimo... Sua reflexão sobre a necessidade mijativa oriunda de alguns minutos na estrada foi sensacional! hehehe Muit bom!

Abraços, meu fio!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais