segunda-feira, janeiro 28, 2008

Muito mais é o repouso

Acho que sempre será um terço ou mais a proporção dos amigos mais caros que se foram. E levam um pedaço do nosso coração, que, quando retorna ao nosso peito num reencontro, resplandece num imenso sorriso. Se não imenso em tamanho, imenso em muito mais do que podem os músculos, pois muito mais é o repouso.
Comentando nesse post: http://vartzlife.wordpress.com/

Fios

Os fios poluem o mundo. Coisas sem fio são bem mais atraentes. Principalmente cidades.
Comentando nesse post: http://objetoabjeto.blogspot.com/

Para Andretto

De quando perguntei como chegar ao Villagio de ônibus e recebi sua localização em meu e-mail

Então, aí neste mapa que me mostraste, está meio que como ao site. O que queria eu saber, se você também o soubesse, claro, caro Andretto, é sobre quais são os ônibus para os quais devo eu dar sinal e neles entrar para que possa ao Villaggio chegar. Saindo do Shopping Eldorado em São Paulo, por exemplo. E, se não o sabe, que pudesse perguntar a alguém mais indicado do que pude eu perguntar, quem pudesse nos dar essa resposta, pois já transformei o meu problema em seu também e há agora mais duas pernas para se chegar até a solução.

segunda-feira, janeiro 21, 2008

Plagiando Vinicius

A Um Passarinho

Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se foi por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!
Se é para uma prosa
Não sou Anchieta
Nem venho de Assis.

Deixa-te de histórias
Some-te daqui!
Vinicius de Moraes

domingo, janeiro 20, 2008

Minh'última poesia assim

Passarinho da manhã, cantai!
Cantai para esse menino
Pois não mais pode ele
Dormir nessa madrugada que se encerra

Passarinho da manhã, contai!
Contai para mim o que
Dizem que os passarinhos contam
O segredo mais óbvio de um coração

Passarinho da manhã, voltai!
Pousai na minha árvore.
Pela janela vou lhe ver e ouvir
Dizer que em hesitar minh'alma erra

Passarinho da manhã, adeus!
Vou sair dessa poesia e
Ir atrás de quem é pra mim a perfeição,
Entregando-me como quem entrega tudo em oração...

quarta-feira, janeiro 16, 2008

SMS1 2008, para Ju

Em meus pensamentos confundo o teu nome com felicidade inúmeras vezes e dando-me conta, repouso no sorriso adorável de quem agora para ler o mundo e aprender novos nomes, novas palavras usa os ensinamentos, o dicionário de Deus!

E um anjo se faz menino...

Um anjo na terra uma vez estava muito cansado depois cumprir numa única noite inúmeras tarefas que já haviam sido adiadas inúmeras vezes. Com os olhinhos miúdos de sono, ia pegar o telefone e ligar para a menina mais bonita que ele encontrou por aqui e que agora namorava. Para lhe desejar boa noite, como sempre fazia. Aconteceu que pouco antes disso ele recebeu dela um texto no seu e-mail; um texto que a menina fez sobre ele e sobre ela. Sobre a história que eles estão vivendo e que é um presente de Deus por terem cumprido a Sua vontade antes de se conhecerem e um tudo acontecer. Nesse texto, ela muito mostrou a maneira como podia vê-lo com seus grandes e belos olhos claros e, novamente, pois já soubera mais de mil outras vezes, soube o quanto a menina é grande e bela e única e o faz realizar sua missão na terra estando os dois juntos. Os olhos que já estavam miúdos muito se engrandeceram e ele, que maduro e consciente sempre se mantinha firme, chorou livremente ao ver tantas cores e brilho em tão curto momento. Depois que as gotinhas caíram e ele se enxugou, com as mãos estendidas ergueu para Deus as suas asas, oferecendo-as, e Deus, que já esperava por apanhá-las sorrindo pacientemente, recolheu-as. Deus não falou nada para o anjo e também não precisava, pois o anjo feito menino já sabia que sua volta ao céu seria no amor daquela menina. Aquela menina que podia colocá-lo lá quando quisesse mirando suavemente sobre ele o semblante que o recheava e o recheia de paraíso.

terça-feira, janeiro 08, 2008

O Valter Hugo Muniz link, grande amigo, me deu um belo presente de aniversário mês passado. Fez um poema e me chamou de Chaplim. Fez um poema e falou do Amor como único fim. Fez um poema para falar de mim e me deixou assim a rimar sem fim tudo com im. A primeira sílaba do infinito, a palavra que diz do que nunca termina. Assim, sem fim, seja a nossa gratidão, Valter. Que nossos sentimentos estejam sempre recheados dela. Assim estou.

Poema pro meu amigo Chaplim

Tinha um garoto, com cara de menino, que não parava de sorrir aquele sorriso engraçado.

Mas o que mais deixava perplexas as pessoas, era seu olhar que se perdia, profundo, mesmo diante daquela barba desfeita, o aspecto externamente descuidado.

Dentre seus dons a capacidade de simplesmente ver o mundo, sem vícios e vicissitudes que a banalização do olhar constantemente nos é imposta.

Essa garoto me fez chorar quando disse seu sim, sem saber o que estava assinando… Aquele acordo englobava milhões de almas. Ou será que ele sabia?

Mudam-se pessoas, o tempo, a vida, e a gente escolhe, antes de tudo, um Deus pra louvar, um amor pra amar e se delicia simplesmente por poder, desta festa, participar.

E assim, forró, samba, o que me importa?

Tanto pra mim, quanto pro garoto-Chaplim só resta a sensação de estar, mais que tudo, vivendo.

Aprendendo com os erros, mergulhando em crises aparentemente sem fim, mas tudo pra que a gente se dê conta, que nem tudo é tão complexo assim.

Pois tanto eu, quanto o meu amigo Chaplim, pudemos perceber que o amor, quer dizer, o Amor, é o único fim.

Fim em si, finalidade.

E mesmo que o tempo passe e adquirimos responsabilidades, decorrentes da nossa idade.

Podemos nos dar conta, de que é possível olhar o mundo, chorar com música bonita, fazer poesia.

Sem vergonha de manifestar, essa nossa tão efêmera sensibilidade.

Poesia em homenagem ao meu grande amigo Vitor Bustamante que ontem, 04/12, completou mais uma primavera.

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...