Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2008

...

Imagem
..., upload feito originalmente por motionid.

O poeta engenheiro

O poeta engenheiro preocupa-se com a estrutura e assim constrói um poema sólido, seguro e firme
Como há tempos não se via!


Preocupa-se com sua musa e faz belíssima casa para morar sua beleza
E ali ela se enamora namorando-lhe num olhar que de contentamento chora

A casa é tão boa mas tão boa que abriga infinitas coisas belas
Na possibilidade de se fazer nada para ser morada do amor eterno

E o poeta que lê o poema o do outro
E o namorado que vê o namoro do outro
Joga sua vara de pescar no jogo aberto desse amor que é rei
transcende leis e faz como eu nem sei

A vida ali é tanta
O olho de André é tão
As linhas de sua musa é tudo
Que o poema vence o mudo
Que o poema porta um mundo: Gaia
Que o poeta tem sua musa
Que a casa não tem porta
E só Mafalda importa

Para comentar

Para comentar o post, algo que tem estado na minha cabeça esses tempos: penso que o amor é dado a você se tem responsabilidade para mantê-lo. Se deixá-lo esvair por medo de nele se perder, esquecendo-se que se ganha quando se ama, ele lhe escorrerá pelas mãos entre dedos confusos que apontam para direções de fuga e desencontro.