quinta-feira, dezembro 23, 2010

Literatura aconchegante


Não sei o que realmente houve quando a olhei assim. Sei somente o que fui capaz de captar entre eu você recheando meu olhar, querida. Parecia finalmente viver ao vê-la em casa lendo um livro com a caneca na mão e as flores ao lado. O pouco frio, tempo chuvoso. Tudo era um grande abraço aconchegante como o seu corpo e a blusa que vestia. Não resisti e bati a foto na qual guardei toda a energia que pude colher do momento. Deitei a câmera sobre a bancada, saí da breve varanda e fui para o cômodo dar-lhe um beijo, que interrompeu sua leitura, seu chá, fez o tempo do mundo parar e parou esse texto.

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Avatar filme

Avatar é um filme ruim? Não! Tem uma alma linda! Vibra uma coisa bela. Vai chegar um tempo em que a semântica superará a sintaxe e a alma valerá mais. Devolvendo assim as coisas a sua devida hierarquia.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Daniel e Camila

Era uma vez um olhar... Era uma vez uma insistência... Era uma vez uma vez uma paixão e fez-se de vez um amor. Aí, disso tudo, sobrou dois bobos na neve: quatro braços, duas cabeças, quatro suvacos, dois sorrisos e uma vontade única de alcançar o que há depois do limite do limite e se ver como Deus na Terra: tudo podendo no Amor! Feliz Natal, casal!

domingo, dezembro 12, 2010

A Vizinha - conto erótico

Toda vez que ela dizia "minha mãe saiu" no gtalk, eu pulava o muro e ia caçá-la em sua casa. Ela se escondia, a danada, para eu ficar doido a procurá-la, uma panela sempre chiava um feijão no fogão e eu tinha que achá-la rápido senão queimava a comida e a culpa era minha. Quando a encontrava, Ahhh, meu amigo, a apertava com os dedos fortes, beijava sua nuca erguendo seus cabelos encaracolados de morena brasileira brasileira. Passava-lhe a mão! Punha-a nos ombros como quem carrega a caça, dava uns tapas na sua belíssima traseira, mordia e a depositava na cozinha com um beijo de língua lânguido bem gostoso. Ela assumia o fogão, eu beliscava alguma coisa que já desse para botar na boca, sentava na mesa e abria uma cerveja. Ficava a observando com quem lambe até a última célula do corpo de uma deusa. Ela terminava e servia um almoço meio apressado no calor de um verão que eu nunca esqueci... Ah, e a mãe? Você pergunta. A mãe saiu! A mãe saiu e nem cheiro de Édipo.

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Meu aniversário! 4/12

Salve salve, amigos!

Mudando um pouco a regra, quero eu, no dia do meu aniversário, agradecer a todos vocês por fazerem junto comigo a minha vida, trazerem aprendizados, momentos de prazer e felicidade.

Por enquanto, ainda não tem festa marcada. A única atividade já marcada para celebrar o dia será um mergulho no mar (aqui aproveito para agradecer a Luísa, minha meia-prima, que está possibilitando isso). Vou pensar em algo em São Paulo para festejar. Aguardem o convite.

Friends, Fun, and Finally...a Waterfall

Que o aniversário seja sempre um renascer único, pessoal, íntimo e coletivo. Que as energias se renovem e uma postura mais madura e crescida em coração se firme para o novo ano de vida. Entrarei na nova casa da idade próxima amanhã! Àqueles que são de fé, peço uma oração; aos que são de energias, um reiki ou silimilares; aos materialistas, um bom sorriso cheio de paz e compreensão do que sou eu em minhas características próprias. Saibam que vocês estão em mim, na altura do peito, e o que sentem ao lerem isto é recíproco. Não valeria a pena fazer aniversário sem vocês na minha vida. O meu muito obrigado a todos! Sejamos cada vez melhores em felicidade e levemos quem estiver próximo conosco. Estou indo pra praia... Fui!


PS: Não sou eu na foto acima, mas... Também sou.

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...