Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Diálogo 17:43 - Eu com meu irmão

Ele: - Ah, é? Conseguiu desconto?
Eu: - Sim! Os óculos que eu quero estavam por R$295,00 e eu consegui por R$215,00 com muito papo, sendo que combinei de dar uma barra de chocolate branco para a vendedora e provavelmente vou chamá-la para sair, pois me deu muita condição.
Ele: Não faz isso!!! Você estava indo tão bem...!
Eu: O que você quer dizer com isso?

Momentos filosóficos bêbados de madrugada 2

Diálogo
A amiga comenta meu comentário elogioso em relação a esse artigo (clique e leia):
Ela: -Tá apaixonado, é?
Eu: -Ainda não. As paixões têm sido efêmeras nesta minha vida de elétron. Terei que achar uma mulher bem próton acompanhada por um amor bem nêutron e que seja capaz de redefinir com grandeza o quantum cósmico da minha satisfação.
Ela: - Desisto.

Acoplando comentário da Sandra Di Célio... (Ah! E eu já imagino o que aconteceu depois):
Ela:-Desisto. Vc tá ouvindo muito kid abelha ultimamente...nada contra, eu até gosto, tem umas bem bonitinhas, mas assim fica difícil...
Ele:-É q me inspiro com as canções...já ouviu aquela assim: "ainda encontro a fórmula do amor-ôr..."??? É minha preferida! Já dizia a P. Toller...eu só estou criando uma versão mais sofisticada, intelectual, assim mais parecida com o meu jeito de ser...
Ela: Desisto de novo.
(rsrs...)

Momentos filosóficos bêbados de madrugada 1

Às vezes eu me sinto tão estruturado quanto um elétron. Sou um elétron em busca de prótonticidade.

Elefantes são nuvens que encarnam

Imagem
2011 Botswana / Zambia Workshop, originally uploaded by stefanolevi.

O inverno tem um jeito

O inverno cheio de frio tem um jeito de nos levar para dentro cheios de nós. O frio faz termos que nos abrigar na casa de nossos corpos abrigados em paredes de cômodos mais quentes que o incômodo do frio rueiro, que passa mais que os carros lá fora. Dentro da minha blusa bem cabia eu e mais alguém a quem daria e multiplicaria calor. No inverno, muito me sinto como quando passo o domingo sozinho no apartamento. Assim, barateando a vida - porque com amor é mais caro e, quando nos perguntam o preço, nunca sabemos quanto podemos pagar e não fazemos negócio. No inverno, minha mente vai dentro do corpo, o corpo vai dentro das roupas que vão dentro do apartamento que vai dentro do frio que vai dentro das nuvens que prendem o Sol.

No comparativo posso dizer que meu coração de poeta chorou

Imagem
Na semana de provas na faculdade houve alguns atritos por falta de organização do grupo na sala. Deixou-se trabalho para a última hora, limitação alheia irritou, não se administrou. Faltou competência, paciência e sobrou estresse. Meu coração de poeta, que não para de bater nunca, se sensibiliza sempre. O vídeo acima recebi por e-mail da Sandra. Vi aí outro grupo. A própria felicidade, paz e harmonia. Potencial de vida utilizado e com isso vida sendo gerada, curtida, cantada, vivida! No comparativo posso dizer que meu coração de poeta chorou. Quanto falta para tantos grupos chegarem a momentos assim como essa oração musicada?!