O que virou? E agora?

Agora talvez caiba apenas uma conversa. Para botar os pingos nos i's, reapertar os sapatos, descontinuar o que vinha andando e olhar bem um para o outro. Feito amigos, com os queixos em mesmo nível e os corações fingidamente em paz. O tempo curto do hoje, expansível ou não, pode ser tão ou mais cruel que o tempo longo da vida. E sou assim... Um aprendiz reconhecido, que numa conversa ou outra disfarça-se professor e vai. A interrogação da espera por essa conversa toma o coração no corpo e tum-tum tapeia impulso para frente: existe o dia-a-dia. A primeira exclamação que vem é a de que se não houvessem mulheres não haveriam poetas.


Comentários

Alice disse…
óun *-*
Ainda bem que há poetas!

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais