domingo, outubro 28, 2012

Em Aparecida

Visita relâmpago em Aparecida. Muita coisa acontecendo na vida que o parar para pensar na forma estruturada de um texto está muito raro. Mas após algumas mudanças que realizam vários ajustes, a vontade de escrever de uma escrivaninha reformada ou totalmente nova vem. E cá está ela. Não somente eu sou outro, mas mudam também as pessoas ao redor. Até o dispositivo mudou. Escrevo de um iPad. Um grande presente que recebi esse ano e já está sendo super útil para trabalhar, estudar, expandir. O que acontece de mais importante é o meu namoro com a Ana. Está bastante transformador e me fazendo crescer junto, na delícia da vida compartilhada. Falta até tempo para dormir dada a abundância de coisas para fazer, conversas para ter, amigos para receber. Quando o relacionamento é bom assim, ele exige que a sua alma esteja no centro do corpo. Nenhuma intranqüilidade no coração é bem-vinda e as duas colunas que são o casal a sustentar o templo do amor devem se manter eretas e tão cheias de paz quanto um sorriso sincero. Algo que requer trabalho. Um trabalho que tem o salário da satisfação em se estar vivo e ter uma mão para dar.

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...