Às vezes, vem um borbulhar

Às vezes, vem um borbulhar interno que a gente se sente vazio e as bolhas que estouram parecem contidas de vácuos. Outras vezes, vem um borbulhar que a gente se enche, as bolhas que estouram dentro parecem contidas de luz. Ora, o Ser é frágil ainda e se influencia por borbulhares do coração no estômago. Sim, acontece de o coração descer pro estômago e também acontece dele subir e quase pular pela boca, esquecendo-se dos conselhos soprados aos seus ouvidos na respiração calmante dos amigos pulmões. O Ser e os borbulhares... Quanta meditação ainda falta para que o primeiro retome o seu lugar e os borbulhares se apaziguem?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais