Meu coração no mundo

Fica difícil para eu acompanhar essa intelectualidade densa das suas reflexões acadêmicas. Meu coração no mundo ainda é muito menor do que o meu coração no Espírito.

Pequeno no mundo, esse coração segura o potencial da mente, que ainda não foi, e dos braços, que ainda não foram. Abraços. Em alguns aspectos esse meu coração ainda é bem jovem e, mesmo já tendo sido maturado anos no vinagre das desilusões, muitas de suas partes ainda se mantém em conserva. Pode de vidro, tampado. Uma enormidade de células creem que sofrer é amar demais, ficam ouvindo Los Hermanos.

Que a psicanálise que alcança a mente pequena sempre tenha tato para as células tão singulares do coração e ajude na transformação desse sangue que me percorre e é a seiva espírito-emocional que possibilita a essência. Quero mais é nascimentos. Mais natureza e menos cimento. É hora de ir pro mato! Mente e braços.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais