Sarau - post final

Escrevi um texto sobre a Palavra para ler no sarau da minha mãe (onde esse era o tema, a palavra). Ficou meio grande e eu quero apresentá-lo aqui da melhor forma possível; vou dividir em capítulos o que, na hora, eu li de uma vez.

capítulo 4 - último

Me desculpem, mas devemos também nos lembrar do poder da classe mal-educada das palavras: os palavrões. O que é mais definitivo do que um "nem fudendo"?, é incontestável. O que é maior do que "grande pra caralho"? "Muito grande" parece uma formiguinha perto de "grande pra caralho". Nada é mais indiferente do que um "foda-se". O que é mais exclamativo do que um espontâneo e bem dito "Merrrda"? (se for com sotaque caipira é uma delícia de dizer) O que é mais aceitador (de aceitar as coisas) do que um "Agora fudeu"?

Mas eu já falei palavrão pra cacete, vamos mudar um pouco, invertamos. Se de um lado temos as palavras mal educadas, do outro temos as bem educadas: O que é mais suplicante do que aquele "por favor" dito olhos nos olhos? O que um "com licença" dito suavemente não consegue mover? O que pode demonstrar melhor a sua gratidão do que um "muito obrigado" muito bem dito? Quais expressões são mais apropriadas para se começar uma conversa do que: Boa noite!; Bom dia!; Boa tarde! (de madrugada estamos dormindo como acreditam os nossos pais e não somos educados a nenhum cumprimento correspondente a esse horário). E, para encerrar, é com palavras educadas que eu os agradeço: Muito obrigado por me ouvirem, por virem aqui, por estarem aqui e pelas palmas que baterão, senhoras e senhores, moços e moças, e crianças que não prestaram atenção. Muito obrigado! Plageio Gonzaguinha, grande compositor popular (popular por retratar as coisas do povo), e digo que... Levo no tamanho desse abraço de vocês, um novo laço, um nó de aço, uma nova fé. Também levo no tamanho desse abraço, uma história nova no meu peito. Adeus, inté! (-lamentação dramática-: Eu não sabia como terminar, aí terminei com palavras de outra Pessoa)

-[Palmas]-

Ah, se educadamente eu os agradeço, mal criado eu exclamo: Eu consegui! Puta que paril! Fiz professores me aplaudirem! Vocês gostaram! Valeu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais