Ele não soube amar

Tanto foi que postou uma música no blog atribuindo o erro aos dois. Homens se perdem de vez em quando no processo de crescer/mudar, não é incomum. Eles não gostam de pedir informações e acreditam piamente que sabem o caminho. Vão como imaginam que devem. Vão como conseguem. Vão gerindo atrapalhadamente tanta Graça em suas mãos: o relacionamento afetivo.

Nessas vezes, sentem Sentimento e não emoção - a simplória comum do dia-a-dia. A sensação inacreditável não é facilmente suportada pelo ainda aprendiz. Por isso, na Arte de Amar, o ideal é ir ao poucos; ao mesmo tempo em que se aprende. Porém, comumente o aprendiz pensa e, por pensar, vai como o Mestre - acredita -, imitando-o. Sem sucesso algum na empreitada, pois o Mestre que ele é capaz de ver não é o Mestre que é. O Mestre só será enxergado quando a maturação do aprendiz atingir todos os seus aspectos trabalhados e ocultos. Olhos de aprendiz se encantam e se iludem facilmente.

Só se enxerga aquilo que você já é. Só verá o Amor aquele se transformou em Amor. Resumo da ópera: no transformar-se/crescer não conta o pensar e o comunicar este pensar; conta ser e comunicar como é ser, muito mais por apenas sendo do que dizendo a percepção que se tem disto.

Comentários

Sandra Di Célio disse…
Hum...tomar só pra si aquilo que não é só seu nem sempre é solução...Mas, mais difícil (pra mim) é encontrar a linha que define o que é erro, o que é acerto..."palavras são erros...e os erros são seus...não quero lembrar..que eu erro também...eu...sei..." me lembra essa música. Mas afinal quem é que pode explicar direito aquilo que "muito mais é sendo do que dizendo"? Difícil né...ah mas termina assim:"somos pássaro novo...longe do ninho" aprendendo...
Vitor Bustamante disse…
Lindo o seu comentário. Obrigado!
Carla Antunes disse…
entendo por Ser todos os seus sentidos em harmonia, o falar, ouvir, fazer em perfeita sintonia. Quando só o falar se manifesta onde se quer direcionar, ou somente qualquer outro um sentido, não é possível Ser... Quando todos os sentidos se direcionam juntos, é possível transformar...
né?

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais