segunda-feira, novembro 28, 2011

Doce palíndromo,

Por mais que aparente não termos nada a ver um com outro chega até mim a percepção de que o imenso potencial para ser felizes juntos repousa sobre nós. É como um tipo sanguíneo que unido ao outro gera um pouco de Deus. Bem mais que o suficiente.

2 comentários:

Alice disse...

HAHAHAHAHA, eu vim ler pensando que era uma receita de doce, juro! Estou começando a acreditar que sou uma formiga, rs. Mas essa coisa de gerar um pouco de Deus... uau.

Beijo!

Sandra Di Célio disse...

Achei que eu não sabia o que era esse tal de palíndromo, daí olhei no wikipédia..."Ah! É isso! então eu sabia sim..." rsrs...

Vítor, muito linda essa tomada de consciência!
Disse o Pe. Fábio de Mello: "Amar é descobrir os avessos. É olhar o outro lado, o nunca visto, o não investigado.
Amar é exercício de investigação, de constante e atenta observância.(...)As palavras reveladoras só nascem depois da observação silenciosa."
Eu e as minhas benditas citações...rs.

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...