terça-feira, junho 12, 2012

Lendo Dostoiévski pela primeira vez. Fdp.

Dostoiévski me deu a primeira porrada com o conto Memórias do subsolo. Meus vizinhos de prédio devem ter estranhado o rapaz que ouve mantras gritar alto filho da puta repetidas vezes enquanto lia o livro e ia percebendo que ali estavam várias análises que ele vinha construindo há meses, já dispostas em grande literatura. O filho da puta foi maior quando ele usou o exemplo de o homem ser como uma tecla de piano e eu havia usado esse exemplo uma semana antes numa carta muito caprichosa que montei. O conto cercou, arrebatou e concluiu vários portais que eu vinha abrindo. Admirável! Recomendo. Mas ainda não o digeri. Terei que ler de novo, com um pouco menos de fúria. Filho da puta!

Um comentário:

Sandra Di Célio disse...

Rs.
Fui fuçar no google pra saber sobre a obra, a propósito adorei o resumo! Agora se levar em consideração que foi escrita em 1864, se a informação estiver correta rs, pode ser que vc já a tenha lido antes hein ou que a sua "sintonia" tenha "captado" a idéia, um transmimento de pensação... rs. Meu, que-dá-ho-ra!

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida s...