Postagens

Livro com uma mão não dá

Ler segurando o livro com apenas uma das mão não dá. É como fazer sexo ativo sem ter as duas mãos na parceira, não dá. E uma mão escondida sempre esconde uma traição, uma faca, um celular com pornografia, uma raiva, um não-querer. Na hora da entrega há que se por as duas mãos e há que se enchê-las do mundo que agora você toca. Mão-única é a mão do tapa na cara, é a via que só vai no trânsito, é a punheta que não é sexo. Não se amassa farinha com ovo com apenas uma das mãos. Não se ergue uma criança, um leão da Disney ou a hóstia na missa com apenas uma das mãos. Com mão única se ergue um cartão punitivo no futebol. Quando estamos de acordo, estamos com as nossas duas mãos no território do encontro. Aquele que fala gesticulando e só utiliza uma das mãos para isso, mente ou esconde alguma coisa; não é confiável. Ao pegar um livro, o pegue com as duas mãos. Saiba que, no momento em que estiver lendo, estará com as duas mãos ocupadas em sustentar uma entrega de alma.

Frase 3

Imagem

Frase 2

Imagem

Frase 1

Imagem

Frase 4

Imagem

Para L.

De tudo fica um pouco
Ficou um pouco de ti em mim
A flor do encontro que foi
Jardina a lembrança de grandes momentos

De tudo quem governa é o Espírito
Ele vai num texto sem rascunho
E nossas orações têm, em seu poder,
Talvez apenas a contemplação de suas ordens

Se de tudo fica um pouco
Em cada pouco deito gratidão
Deito reconhecimento no lençol da vontade
De ter os limites desse reconhecimento ultrapassados
Aprofundados para além dos muros de uma ignorância que já foi e ninguém desejou manter - lutei por crescimento
Trabalho evolução com caminhar curto
Mas presente e vou
Que sempre possamos ir e
Que o Espírito sempre possa vir

Labirintimiei

Labirintimiei no ritmo e signos e, no último verso, o chão, voraz, me tragou. Feito em água, e da água tendo vindo a erguer o barro, esse chão que se imensa e traga, me secou. Há coisas que não se podem dizer mas se podem mostrar e a poesia, por absurdo, não diz, mas mostra e com ela podemos saber, sentir, sem ter, com Ser. Não há ponte maior na Terra do que a arte. Não barco maior e mais poderoso do que signos. Neles vamos, neles habitamos tudo aquilo que somos e não pode ser dito mas derramamos!