Qualquer coisa, menos um post (?)

Como o Carlos falou: ...as que ficam menos nojentas eu posto. Está sendo assim mesmo. E ninguém das várias pessoas que existem dentro de mim (não se assustem, existem várias pessoas dentro de cada um de vocês também) descobre o porquê da ocorrência. Mas, mesmo relevando bastante o assunto esses dias, acho que já está passando. E eu acho que foi a lambada-psicológica que eu levei do meu pai no final de semana que me ajudou. Resumo: "Eu investi tudo isso em você e agora quer essa faculdade furreca?". Quis morrer, ai que viadisse a minha. Acontece que com ápice negativo do ego (imaginem aquele abismo que Gandalf cai no primeiro filme do Senhor dos Anéis), parece que logo em seguida vem o ápice positivo (imaginem uma ótima sensação de bem-estar apesar de tudo). Eu fiquei bem. Comecei duas histórias que estão ainda na metade, escritas no meu caderno_salvador_de_pensamentos_que_me_nascem-para_serem_escritos! Será o fim que significa novo começo?

Pensei também na proposta (sempre que vou escrever essa palavra penso em próstata) do Felipe. Relembrar posts antigos. Acho que a melhor escolha seria: operação no testículo esquerdo, o diário. Tem muita gente que lê o cab agora e que não pegou essa fase. Foi a fase de ouro, 40 visitas/dia. Em breve nos veremos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bustamante

Texto que escrevi e li como orador dos formandos de 2008 do curso de Comunicação e MultiMeios da PUC/SP

Tema da redação: Heróis reais